PUBLICIDADE

Gamers da melhor idade

12:19 | 08/10/2019
Flor Macedo e Lilian Silva jogam o game Metin 2 há mais de 10 anos
Flor Macedo e Lilian Silva jogam o game Metin 2 há mais de 10 anos

A preferência por jogos eletrônicos como forma de diversão cresce a passos largos no Brasil e faz o perfil do público gamer no país se transformar constantemente. Apesar disso, muitas percepções errôneas ainda pairam sobre esse mercado, como a de que jogar videogames é um passatempo masculino ou a de que existe uma idade ideal para jogar, geralmente quando criança ou jovem. Felizmente, pesquisas recentes e casos como o de Lilian Silva, 65 anos, e Flor Macedo, 55, - duas alegres senhoras adeptas ao jogo Metin 2, distribuído no Brasil pela Ongame - vem mudando esse panorama.

Em entrevista exclusiva ao O POVO, as duas jogadoras contam suas trajetórias de mais de dez anos jogando juntas e como os videogames afetaram positivamente suas vidas.

Pesquisa Games Brasil de 2019 revela que mais da metade dos gamers brasileiros são mulheres
Pesquisa Games Brasil de 2019 revela que mais da metade dos gamers brasileiros são mulheres (Foto: Reprodução)

A pesquisa Game Brasil 2018, realizada pela parceria entre a Blend New Research, a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e o Sioux Group, atestou que as mulheres são maioria dentre os jogadores de videogame no Brasil (58,9%). Ademais, o estudo também demonstrou que mais de 60% dos gamers do país tem entre 25 e 54 anos de idade, caracterizando a maioria do público gamer do país como sendo formada por adultos, incluindo pessoas próximas da melhor idade. Parte desse público, cerca de 44%, optam por jogar no computador, dentre os games da plataforma, Metin 2 se destaca como um RPG online acessível, que apesar da temática asiática que pauta sua estética, foi desenvolvido pensando em todo o tipo de jogador. Lilian e Flor, duas paulistanas muito simpáticas, jogam Metin 2 há mais de 10 anos. Ambas conheceram o jogo em momentos pessoais difíceis e encontraram no game um bálsamo para os problemas da vida.

DaviDoBacon: O que os videogames representam na vida de vocês?

Lilian: Para mim, videogame é anti-estresse e um meio de fazer amizades, sejam elas boas ou ruins. Adoro jogar videogame. Faço isso há 11 anos.

Flor: É uma forma de companhia para mim. A gente não se sente sozinha jogando por conta das amizades que fazemos. Te uma que a gente confia, outras não. Criamos personagens masculinos no começo por conta da desconfiança, mas tem muita mulher jogando normal hoje em dia. Às vezes as pessoas têm problemas pessoais e a gente ajuda.

O contato entre Flor, Lilian e o jogo foi para além do contexto virtual. Após problemas com xingamentos e assédios de alguns jogadores, Flor fez uso da ferramenta de suporte disponível em Metin 2 e contatou a equipe da Ongame para solucionar a questão. Algum tempo depois, a curiosidade das duas acabou as levando ao escritório da empresa em São Paulo.

Flor e Lilian em visita à Ongame em São Paulo
Flor e Lilian em visita à Ongame em São Paulo (Foto: Divulgação)

DaviDoBacon: Como se deu a história entre vocês duas e a Ongame?

Flor: Eu era casada e meu marido faleceu. Daí minha sobrinha jogava e me apresentou ao game. Ela fez a conta para mim, eu comecei a jogar e me viciei (risos). O jogo me tirou do estresse e da depressão em que eu estava na época. Um dia, perguntei para a Lilian se ela não queria conhecer essa tal de Ongame de verdade. Daí eu peguei o endereço e fomos. Calhou que nesse dia conseguimos conhecer a equipe inteira que trabalha com o Metin 2, e foi amizade à primeira vista. Desde então a gente se trata como família. Eles tratam a gente bem. Somos sempre muito bem recebidas. Até postamos no “face” a foto do dia.

DaviDoBacon: E fora do jogo, como é a vida de vocês duas?

Flor: Eu tenho uma vida super normal. Até pouco, eu trabalhava fazendo salgadinhos para festas e produtos de beleza, até que tive que parar de trabalhar para cuidar da minha mãe. Daí comecei a ficar mais em casa, e jogo mais por conta disso também.

Lilian: Sempre tive meu próprio negócio. Não consigo ficar parada! Mas meus filhos já querem que eu deixe de trabalhar por conta da idade. Tenho uma vida normal, com netos e filhos maravilhosos. Mas, quando meu filho chega em casa, ele já sabe que não pode me perturbar muito porque eu vou estar no Metin 2 jogando.

DaviDoBacon: Você diz que não consegue, mas sente que está na hora de talvez ficar mais parada, Lilian?

Lilian: Olha, vou te dizer, Não me sinto velha. Me sinto experiente e minha jogatina com Metin 2 é uma prova disso. Com o jogo, descobri novas amizades e também que amizades virtuais podem ser de verdade, como as da vida real. Com o passar do tempo, você se abre com eles, eles se abrem com você e todo mundo vira uma grande família. Jogar assim é muito gostoso para mim.

Durante o período de Dia das Mães deste ano, a equipe da Ongame decidiu convidar as duas simpáticas jogadoras e visitantes do escritório da marca para uma ação contra a misoginia nos jogos da empresa. Junto a outras jogadoras dos games da Ongame, Flor e Lilian apareceram em vídeo, se expondo abertamente à comunidade do game e tentando conscientizar os jogadores em prol de um tratamento melhor a elas e às demais jogadoras femininas de Metin 2.

Segundo Bruno Pequeno, analista de marketing da Ongame, após tomarem conhecimento das experiências negativas de Flor, Lilian e outras gamers do sexo feminino que jogam os games da empresa, a equipe teve uma idéia de aproveitar o mote do Dia das Mães e produzir um vídeo trazendo as jogadoras e relatos de suas vivências com a toxicidade no meio gamer.

DaviDoBacon: Soube da ideia que a Ongame teve em chamar vocês para uma entrevista e para participar de uma campanha de conscientização em prol de mudar os comportamentos tóxicos contra mulheres? Como vocês enxergaram tudo isso?

Lilian: Olha, tinha vezes que a gente jogava, recebia xingamentos e nos sentíamos mal. Eu nunca deixava ninguém falar mal de mim não, mas mesmo assim era ruim. Às vezes até trocava de personagem e usava minha ninja para ir atrás de quem falou mal da gente (risos). Depois do vídeo com o pessoal da Ongame, melhorou muito. Esse vídeo foi uma mudança muito boa, e fez até mais gente voltar pro jogo, especialmente as mulheres que tinham saído por conta disso. Além disso, melhorou muito as amizades. As pessoas passaram a respeitar mais a gente, e isso foi muito bom.

Ao final da entrevista ao O Povo, Lilian e Flor encerram com mensagens que resumem seus sentimentos sobre a relação delas com os mundo dos games.

DaviDoBacon: Que mensagem vocês gostariam de deixar para quem for ler esta entrevista?

Flor: Videogame pode te trazer companhias e te fazer sentir maravilhosamente bem. Se você não joga, dá uma parada, uma olhada e, quem sabe sua mente se abre e você muda. Metin 2, para mim é um remédio anti-estresse.

Lilian: Faço minhas as palavras dela. Mulheres, joguem! Não precisa se esconder atrás de um personagem masculino. Se alguém te xingar, reclame dessa pessoa para o suporte do jogo e continue!

Metin 2 está disponível para download gratuitamente no site oficial do game

O Povo