PUBLICIDADE

Para que criminalizar a homofobia?

00:00 | 28/02/2019
Pabllo Vittar
Pabllo Vittar

No último domingo, a produtora Lua Guerreiro, 24 anos, pediu um isqueiro emprestado depois de um bloco de Carnaval, em Niterói (RJ). Foi o suficiente para que fosse agredida por um grupo de homens. Lua é uma mulher trans. Com a chegada dos policiais, as agressões terminaram. Mas a humilhação seguiu, desta vez por parte dos agentes da lei, que debocharam de sua situação.

No hospital em que foi socorrida, novos constrangimentos. Além das piadas de enfermeiras, Lua não teve seu nome social respeitado. Ao chegar à delegacia, para prestar queixa, foi colocada na mesma sala de espera que seus agressores, que riam de seus ferimentos e hematomas.

Em Campinas (SP), a auxiliar de limpeza Thais de Paula, 30 anos, teve de recorrer à Justiça para poder voltar a usar o banheiro feminino no supermercado em que trabalha. Devido à sua "aparência masculina", desde setembro ela, que é lésbica, era obrigada por sua supervisora a usar o sanitário masculino.

Na semana passada, um juiz do TJSP concedeu liminar determinando o que deveria ser óbvio: "em razão dos fatos e documentos apresentados que seja possibilitada a ela a utilização do banheiro destinado às pessoas do sexo feminino".

Em Fortaleza, há alguns dias, o jornalista Renato Ferreira estava em um bar com um pretê, na Praia de Iracema. Depois de duas cervejas, eles se abraçaram e trocaram um beijo. Era madrugada e havia apenas mais duas mesas ocupadas, ambas por pessoas adultas.

O casal foi abordado de imediato por um garçom, que os advertiu que, "apesar de não ter nada contra", ali não era "permitido aquilo". Ao pedir a saideira, foram surpreendidos pelo mesmo garçom, já com a conta na mão, "pedindo para que nos retirássemos do estabelecimento porque ali não era nosso lugar", relatou Renato em uma rede social.

É diante de um cenário como este que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, suspendeu, há uma semana, a votação da criminalização da homofobia no plenário do Supremo. Após quatro sessões de julgamento, quatro ministros já haviam votado a favor da criminalização. Mas aí, o tema foi retirado de pauta. E segundo o próprio presidente do STF, não há previsão de quando o julgamento deve ser retomado pela corte.

Para que criminalizar a homofobia, não é mesmo?

DJ Denilson Albano
DJ Denilson Albano
DJ Emmanuel Costa
DJ Emmanuel Costa

MAMBEMBE

AMANHÃ, SEXTA-FEIRA, o Mambembe (Rua dos Tabajaras, 368, Praia de Iracema) promove o Baile Mambembe - Donas do Carnaval, a partir das 22hs. No comando das pick-ups, os DJs Charlotte Killz, Deydianne Piaf, Darwin Marinho e Estácio Facó. No sábado, dia 2, a casa sedia mais uma edição de seu baile momino, só que com o tema Axé Brasil Carnaval, também às 22hs. No line-up da noite, os DJs Denilson Albano (FOTO), Kinas e Estácio Facó. Já no domingo, dia 3, o Mambembe encerra sua maratona carnavalesca com o Baile Mambembe - Ménage à Fuáh. A folia começa na mesma hora dos bailes anteriores (22hs) e será animada por Bia Gondim, Gabilônia, Mulher Barbada e Estácio Facó. Todas as três festas têm o mesmo preço de entrada. Ingresso (por noite): R$ 15 (meia), R$ 30 (inteira), R$ 20 1kg de alimento não perecível (solidária) e R$ 20 para os 100 primeiros. A entrada é gratuita para pessoas trans com nome indicado por inbox até às 17 horas do dia de cada evento. Outras info: 3048 6060.

LEVEL

AMANHÃ, SEXTA-FEIRA, a boate Level (Rua Dragão do Mar, 218, Praia de Iracema) reúne cinco DJs, a partir das 23hs, com um repertório que passeia por funk, reggaeton e brasilidades. Os DJs Emmanuel Costta (FOTO), David Arthenio, Luiz Neto, Queel Sousa e Ph Archibald estão no line-up. Plus: cerveja, água, vinho e catuaba com preços promocionais rodadas de bebidas. Ingresso: R$ 10 (com lista Vip até 0h), R$ 15 (sem lista Vip até 0h) e R$ 20 (meia sem lista). No sábado, dia 2, a casa realiza a festa Que coisa boa, com 10 DJs, também a partir das 23hs. No comando das pick-ups na pista Pop, os DJs Aly Balker, Fabio Balack, Femo e Marcel Catunda. No Axé/Funk, Adailton Maciel, David Arthenio, Di Soarez e Emmanuel Costta. Já nos sets de House, os DJs Lourran Carneiro e Thiago7. Plus: rodadas de bebidas doces free. Ingresso: R$ 10 (com lista Vip até 0h), R$ 20 (sem lista Vip) e R$ 80 (acesso ao camarote com 12 fichas para bebidas). No dia 3, rola Domingão da Level, a partir das 22hs. Na pista, os DJs David Skyline, Marcelo Fort, Lourran Carneiro e David Arthênio. No palco, shows com Emma Salvatore, Rayanna Rayovack e Victorya Tithan. Plus: cardápio com preço promocional. Ingresso: R$ 10 (até 23h30min) e R$ 15 (após 23h30min). Outras info: 3219 0744.

Ouça essa!

Ouça essa!

“Tem que criminalizar (a homofobia). A natureza fez o gay, tem que entender”.

Martinho da Vila, 81 anos, em entrevista à coluna Marina Caruso, no O Globo

 

Noteenhas

NOTEENHAS

ELAS PARA ELAS

Pesquisa inédita realizada com 2 mil acompanhantes de luxo no Brasil revelou uma surpresa. Quatro em cada 10 destas garotas de programa (ou 43% do total) costumam atender a mulheres em sua clientela. As outras 57% restringem seus serviços a homens.

O levantamento, realizado por um site de classificados especializado nessa atividade, apontou outras curiosidades. A maioria das garotas de programa brasileiras é morena de olhos castanhos, mede 1,65 metro de altura, tem 27 anos e seu signo no zodíaco é escorpião. Já os codinomes mais usados por elas são Alice, Amanda, Bruna e Fernanda.

Os 10 LGBTs mais influentes do Brasil

Divulgada nesta semana a relação das pessoas 50 LGBT mais influentes do Brasil em 2018. O ranking foi realizado pela Rede Guiya, que edita os Guias Gays de São Paulo (SP), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Florianópolis (SC). De acordo com os organizadores, mais de 130 pessoas “concorreram” ao ranking e foram analisadas, até chegar aos 50 contemplados. O critério de seleção foi “o quanto essas pessoas conseguem influenciar a vida de pessoas e os rumos do País, das áreas em que atuam e dos lugares onde vivem”.

Entre os selecionados, muitos já estiveram nas páginas de Cena G, tanto como entrevistados quanto como fontes de informação. É o caso da dupla José Augusto Vasconcelos e André Gagliano, donos da San Sebastian e da San Folia, que aparece em 39º lugar; Clovis Casemiro, coordenador da IGLTA no Brasil (19º); Ricardo Sales, consultor de comunicação e diversidade (12º) e até o jornalista Welton Trindade, que é o organizador do ranking.

Por óbvio, também há muitos artistas na relação. Entre eles, os cantores Johnny Hooker (32º) e Lulu Santos (21º), a cantora Liniker (29º) e o ator ‘cearense’ Jesuíta Barbosa (44º), além de militantes políticos como a deputada estadual de São Paulo Erika Malunguinho (50º) e o acadêmico Luiz Mott (14º), e os jornalistas Fernanda Gentil e Glen Greenwald, norte-americano casado com o deputado federal Davi Miranda (Psol-RJ).

Cena G revela quem são os dez primeiros colocados. O ranking completo você pode conferir no site oficial da editora (www.guiagaysaopaulo.com.br)

1º Marielle Franco, ativista, vereadora (PSOL), assassinada há um ano

2º Pabblo Vittar, drag queen e cantora

3 º Toni Reis, ativista, presidente da Aliança Nacional LGBTI

4 º Daniela Mercury, cantora e compositora

5 º Reinaldo Bulgarelli, Secretário Executivo do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+

6 º Jean Wyllys, ativista e ex-depçutado federal

7 º Linn da Quebrada, cantora

8 º Pedro HMC, publicitário e criador do portal Põe na Roda

9 º Glória Groove, cantora e drag queen

10 º Nanda Costa, atriz

 

 

OPORTUNIDADE

NA GASTRONOMIA

Terminam amanhã, dia 1º, as inscrições para o processo seletivo para os cursos profissionalizantes gratuitos da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco. Estão sendo ofertadas 210 vagas nos cursos Cozinha Básica, Confeitaria e Panificação, nos três turnos.

Para participar da seleção, os interessados devem ter a partir de 18 anos completos no ato da matrícula; ensino fundamental completo e disponibilidade por três meses, de segunda a sexta-feira no turno escolhido (pode ser das 8h30min às 12h; das 13h30min às 17h ou das 18h às 21h30min).

As inscrições devem ser feitas pelo site www.dragaodomar.org.br. O processo seletivo constará de avaliação do perfil do candidato e entrevista presencial. A preferência da ocupação das vagas é para jovens entre 18 e 29 anos, vindos de escola pública, que não estejam estudando nem trabalhando, mas que busquem qualificação.

PAROU TUDO!

Excepcionalmente na próxima semana, “Quinta-feira de Cinzas”, Cena G não será publicada. A gente volta a se encontrar no dia 14 de março, neste mesmo espaço. Um Carnaval fantástico para você e até lá!

 

O Povo