PUBLICIDADE


Conheça a gastroplastia endoscópica

01:30 | 08/07/2019
Helmut Poti em sua clínica Digestive Center, no Complexo São Mateus
Helmut Poti em sua clínica Digestive Center, no Complexo São Mateus

O cirurgião cearense Helmut Poti é professor e pioneiro na realização de gastroplastia endoscópica no Norte e Nordeste, e vem se tornando uma referência no Brasil, ministrando cursos da técnica, inclusive, no maior centro de treinamento de técnicas minimamente invasivas da América Latina, o Ircad, no Rio de Janeiro. Ele nos recebeu em sua clínica Digestive Center, no Complexo São Mateus, e nos concedeu entrevista. Em setembro participará do maior congresso sobre cirurgia bariátrica do mundo, em Madri, Espanha.

O POVO - Qual a indicação da gastroplastia endoscópica?

Helmut Poty - Pessoas acometidas de obesidade grau 1 e 2, mas já atendi obesos mórbidos que não querem fazem a cirurgia bariátrica, que têm receios de fazer a bariátrica, e precisam de uma ajuda maior do que os medicamentos.

OP - É o mesmo resultado de uma cirurgia bariátrica?

Helmut - Não é. Mesmo porque estamos apenas costurando o estômago e, na bariátrica tradicional, parte do estomago é cortada e pode haver o desvio de intestino em algumas delas.

OP - Então, como é feita a gastroplastia endoscópica?

HP - É por endoscopia e costuro o estômago. Já a bariátrica, tem dois tipos: através de pequenos cortes no abdômen, fazemos a laparoscopia e cortamos e costuramos o estômago. Na outra técnica, cortamos e costuramos o estomago e pegamos o intestino lá em baixo e costuramos, desviando a comida.

OP - De quanto é a perda de peso?

HP - De 186 procedimentos que já realizei, a perda de peso fica em torno de 20% e a média de manter esse peso é de dois a três anos. Cerca de 90% doa pacientes ficam satisfeitos e 10% pensa que cirurgia é milagre. Não é. É apenas um empurrão para o emagrecimento, uma ajuda. O paciente tem de mudar o estilo de vida, canalizar o prazer, a compulsão de comer para atividades físicas, esporte e cuidar da saúde, por exemplo.

Pratica de ioga
Pratica de ioga

Pilates e ioga para rejuvenescimento facial

Imagine associar a técnica do Pilates, que é um tipo de atividade física que busca o controle do músculos, fortalecendo a musculatura e melhorando o tônus, além de conferir maior flexibilidade, à técnica milenar da ioga, responsável por tonificar, tornear e manter o equilíbrio? Assim nasceu o Face Lift Yoga Pilates.

A fisioterapauta dermato funcional Eurides Araújo explica que é uma técnica de massagem facial que atua diretamente na musculatura e na pele, alongando, relaxando e tonificando. "Conta ainda com a utilização de dermocosméticos que estimulam a síntese de colágeno e elastina de ação lifting e antioxidante. Ainda podemos associar a outras técnicas, como: led, laser, microcorrentes, radiofrequência, dependendo da necessidade do paciente", diz

O resultado é o rejuvenescimento facial e uma verdadeira harmonização do tecido muscular e tissular.

São indicadas de quatro a oito sessões, de acordo com o grau de envelhecimento. "Porém podemos realizar mais sessões, pensando no relaxamento e bem-estar."

 

TAGS