PUBLICIDADE

Sob medida

01:30 | 06/07/2019

- TODOS prognósticos indicavam que Brasil estaria na final da Copa América, por motivos mais do que óbvios.

- IMAGINAVA-SE por exemplo uma decisão entre Brasil x Argentina, o que seria empolgante, ou então Brasil x Uruguai, também viável.

- PRIMEIRO por ser a Argentina rival histórica. Brasil a enfrentou na semifinal, deixando-a no meio do caminho.

- URUGUAI, melhor de todas as seleções, ficou pelo meio, menos pelo futebol superior ao Peru, mais pela ajuda do VAR e de um árbitro pusilânime.

- BRASIL x Uruguai viria a calhar neste momento pra salvar em parte o rotundo fiasco que foi esta Copa América, sem brilho e opaca.

- SERVIU para provar que o futebol sul-americano é tecnicamente fraco, incluso o Brasil, que da Copa do Mundo pra cá nada mudou. Exceção do nosso Cebolinha, quem diria!

- NÃO bastasse tudo isso ainda por cima avacalharam a Copa com entradas de Catar e Japão, rotuladas de "convidadas especiais". Só vieram atrapalhar, além de mostrar que nada acrescentaram.

- HAVIA terceira alternativa na final de amanhã, caso Chile, ao perder para o limitado Peru (3 a 0), provou que mesmo e apesar do bicampeonato tem uma seleção fraca.

- RESTARAM na final apenas Brasil x Peru, que assim seja, sem nenhum brilho ou atração pra empolgar o torcedor.

- ATÉ onde minha trêfega memória pode alcançar, nunca registrou uma vitória do Peru, muito menos uma final qualquer entre os dois.

- FINAL no Maracanã faz justiça à fraqueza técnica desta Copa América que pra outra coisa não serviu, a não ser atrapalhar o Brasileirão, ainda a melhor coisa que nos restou.

- PONTA de frustração pro torcedor que for ao Maracanã amanhã só uma zebra monumental, com as cores peruanas, pra tirar o título do Brasil.

- ALIÁS, pra ser franco, esta Copa foi feita sob medida pra seleção do Tite vencer e termos que aturá-lo pelo menos até as Eliminatórias.

- QUEM quiser comemorar e tiver saco, por antecipação, o título número nove da Copa América já está no papo do Brasil. Quem sobreviver, verá.

FEITIÇO CONTRA FEITICEIRO

- FORTALEZA foi quem mais badalou vinda da janela internacional, aliás com tanta ênfase, pois não é que o feitiço virou contra o feiticeiro.

- COMO assim, cara-pálida? Por conta da tal janela, perdeu três jogadores de uma raquetada só — Júnior Santos, Marcinho e agora Dodô.

- DOS três, será o Marcinho o que fará maior falta, pois ponta-ponta das antigas, veloz e driblador, em direção ao gol, estilo totalmente diferente do Osvaldo.

- DE lambugem, não propriamente pro exterior, Matheus Alessandro, este muito mais por ruindade. Ficou faltando o Patrick, não de todo mal, mas não caiu nas graças do Ceni.

- EM compensação, a janela trouxe pro Pici, o argentino, atualmente na Colômbia, Vázquez, meia esquerda. Quem por ele bota a mão no fogo? Só o conterrâneo Quintero. Mas aí não vale.

FORA DA CAIXINHA

- ENXURRADA de coletivas, no Ceará, foi a vez do técnico Enderson Moreira. Não fez mais do que repetir a ladainha da dupla Robinson-Segurado.

- ENTRE outras bobagens — este elenco vai dar sim pra encarar a nova fase do Brasileirão, embora todos duvidem.

- LÁ pra tantas tocou num camisa 9. E veio com aquele papo furado que não há no mercado.

- ENDERSON podia ter parado aí. Resolveu citar o nome do Fred como exemplo. Como está fora da caixinha, ninguém lembrou a ele que bem ali na Barra, está Cariús, o artilheiro do Brasil, acima de Fred e outros menos votados. Alguem precisa, urgentemente, refrescar a (fraca) memória do Enderson.

PRIMEIRO CHOPE

- SHOPPING Benfica, como sempre, parte na frente. Torcedores que forem ver a decisão da Copa América, ganharão o primeiro chope e um copo temático de graça, na promoção "Primeiro chopp é por nossa conta". Contanto chegue com 30 minutos de antecedência. Sirvam-se à vontade.

 

TAGS