PUBLICIDADE

É bonito isso?

01:30 | 12/06/2019

- NESSES 17 dias longe do Castelão, ausente dos olhos da sua exigente torcida, o Fortaleza conquistou um título (Nordestão). Em compensação, foi alijado da Copa do Brasil, perdeu duas no Brasileirão, foi bater com os costados na zona de rebaixamento. É bonito isso?

- CLARO que não. Antes perdesse a Copa do Nordeste, permanecesse na Copa do Brasil e ao menos empatasse com Flamengo ou Grêmio, teria escapado do estrago de chegar na maldição do Z-4. Tradução exata - vencer Nordestão não tem o menor significado, a não ser o de erguer um troféu que pesa 27 quilos. Até nisso exageraram.

SENTA-LEVANTA

- ADICIONE-SE a isso a maratona maluca de um senta-levanta sem fim até esbarrar na serra gaúcha. Perderam-se os mil e tanto quilômetros pra fazer todo este périplo, sem o menor efeito positivo para o Tricolor em termos de Brasileirão. Copa do Brasil, como é carta fora do baralha, passa a régua e fecha a conta.

O PRIMEIRO CICLO

- PARTIDA hoje contra o Cruzeiro, fecha o primeiro ciclo do Brasileirão, porque está vindo aí a tal Copa América, uma competição, volto a repetir, apenas pra encher linguiça. Depois então, uma quarentena, Brasileirão parado, clubes tendo prejuízo e a CBF se empanturrando de dinheiro. Futebol brasileiro está a exigir uma vassourada igual aquela que aconteceu na política.

- PARTIDA de hoje acaba sendo um divisor de águas, tanto para Cruzeiro, quanto Fortaleza. Cruzeiro não está bem na Série A e o Tricolor pior ainda. Um jogo pra desenfastiar o torcedor? Não arrisco botar a mão no fogo.

- CRUZEIRO por acaso é atração de bilheteria por essas bandas? Não. Tipo do time que não empolga ao torcedor cearense, certamente por ficar fora do eixo Rio-São Paulo. Tirante o Fred, em fim de carreira, ainda assim balançando as redes, quem mais no Cruzeiro é conhecido do torcedor?

- TREINADOR Mano Menezes faz o estilo pragmático. Evita seu time dar espetáculo, quer vê-lo em campo para vencer, mesmo sem tanto brilho. A passagem de Mano pela seleção brasileira, no auge da sua carreira, foi opaca. Quem dele se lembra e o feito do Brasil sob seu comando?

O MANJADINHO

- NO Fortaleza as coisas não mudam. Ceni fecha os treinos até nos rachões. Imprensa local, que ele não tolera, fica do lado de fora esperando entrar quando tudo estiver encerrado. Restaram as chatíssimas coletivas, aquelas onde se escala um jogador pra não dizer nada, a não ser um amontado de clichês já batidos.

- QUE time Ceni vai mandar a campo? Nem pensar. Talvez seja o único técnico do mundo que, a cada partida, vem com uma formação diferente, embora fiel ao seu modelo ofensivo, dois pontas bem abertos, atuando em velocidade. Falta o principal. Qual? Dentro de área um enorme abismo onde a figura do goleador simplesmente inexiste. Pelo simples fato de não ter. Já se tornou manjadinho.

- BOM jogo? É o menos que se pode pedir ou esperar para quem se der ao luxo de ir ao Castelão. A torcida tricolor não está gostando nada de ver seu time na zona de rebaixamento. É aquele lugar onde é fácil de entrar. Pra sair é que são elas.

A OUTRA DESPEDIDA

- LONGE dos olhos da sua torcida, o Ceará, que também flerta com a Z-4, mas ainda não chegou lá, estará amanhã em São Januário enfrentando o Vasco do Luxemburgo. Nem ele, Luxa, com a bagagem que tem, conseguiu ainda tirar o Vasco do pantanal da Z-4.

- CEARÁ do Enderson Moreira se propõe a mudar alguma coisa? Sabe-se lá. Técnico que morre de amores pelo futebol do Sobral, do Bergson, do Ricardinho, sem querer querendo, vai acabar convencendo o torcedor alvinegro que se com o Lisca era ruim, com ele, Moreira, ficou pior.

RETRATO FIEL

- FISGO da coluna de Juca Kfouri, este paralelo genial. Vale recortar.

- "NEYMAR, dentro de campo é um dos três melhores jogadores do mundo.

- FORA dele, com suas estrepolias, é o maior perna de pau do mundo..."

TAGS