PUBLICIDADE

Antes & depois

01:30 | 24/05/2019

(1) - DAS coisas incríveis do futebol. Ceni completou, ontem a noite, contra o Botafogo-PB, 84 jogos no comando do Fortaleza, desde o ano passado quando aterrizou no Pici. De lá pra cá jamais repetiu o mesmo time de um jogo para o outro, fato inédito no futebol. Nem assim o Tricolor perdeu o ritmo nem arrefeceu a volúpia de jogar ofensivamente. Nem deixou de ganhar dois títulos. Um dos quais também inédito, Campeão Brasileiro da Série B. Antes já havia tirado o tri da boca do Ceará, ganhando o Estadual.

(2) - COMO então explicar e justificar a não repetição da escalação do mesmo time? Ceni resolveu usar o critério da rotatividade. Nada mais é do que ficar fazendo rodizio entre os jogadores de uma partida pra outra, alegando evitar desgaste físico, o que aconteceria se repetisse sempre a mesma escalação. Há controvérsias. Das duas, uma. Ou é excesso de competência ou Ceni é mesmo um tremendo sortudo.

(3) - SETOR de marketing do Fortaleza continua dando um baile, sempre inovando. Ontem à noite, antes da bola rolar, pregou mais uma peça original. Torcedores em fila indiana foram esperar o ônibus poucos metros da entrada do Castelão, formando um corredor de fogo. Nele constaram - sinalizadores, fumaça à vontade, bandeiras, fogos, todos cantando o hino do clube até que o ônibus, em marcha lenta chegasse à porta do vestiário. Não por acaso, o marketing tricolor dá de goleada no rival Ceará. Detalhe da cuca privilegiada de Bruno Bayma vertem todas essas ideias, digamos assim, geniais.

(4) - CURIOSIDADE matou o gato. Motivo da cor vermelha no escudo do Botafogo-PB pode ser explicada assim. Por ter adotado as mesmas cores do seu homônimo carioca, usou também o escudo com a estrela branca. Até a década de 70 ao perceber que a maioria da sua torcida não era, necessariamente, torcedora do clube carioca. Para diferenciar, veio a ideia de trocar a cor da estrela pra fazer toda diferença. Deu certo e não houve divisão da torcida do Belo paraibano. Simples assim.

(5) - AO totalizar, ontem a noite, antes e depois da primeira decisão do título do Nordestão, o ponta Edinho foi o jogador que mais vezes entrou em campo com a camisa tricolor desde que voltou para o clube que o viu nascer. Ao todo - 26 partidas. Logo a seguir Júnior Santos, com 24. Como não jogou ontem a noite, punido pelo cartão amarelo, Júnior perdeu a chance de aumentar sua artilheria de 8 gols. Empatado com Gilberto, do Bahia.

PEDRA CANTADA

- BEM que avisei. A coletiva marcada pelo presidente do Ferroviário, Newton Filho, com o atacante Cariús, nada mais foi do que o exercício escrachado do óbvio.

- PERMANÊNCIA do artilheiro no Ferroviário até o final da temporada, soterrando de uma vez por todas a onda de boatos de que estava indo para o Ceará que encheu até as tampas.

- COMO todo boato tem fundo de verdade, a negociação chegou acontecer. Ferroviário chegou a aceitar a contraproposta do presidente alvinegro Robinson de Castro.

- NA hora do preto no branco, ou seja acertar as bases de Cariús, o empresário do atleta meteu o bedelho. Achou pouco, exigiu quase o triplo. Fato aborreceu ao presidente Robinson, por entender tratar-se de leilão. Encerrou o papo.

- AQUI pra nós. Essa história continua sendo mal contada. Ou alguém está mentindo ou alguém resolveu criar uma comédia no pior estilo pastelão...

MAPA DA MINA

- UM dia antes da primeira decisão do Nordestão, o Fortaleza alcançou os 30 mil sócios- torcedores. Acima, só Bahia e Sport.

- NOVES fora o apurado, este programa paga em torno de 70% da folha atual do Fortaleza rondando a casa de R$ 1,3 milhão. Eis aí o mapa da mina.

- REVERSO da medalha. Se alguém perguntar quantos sócios-torcedores tem o Ceará, é mais fácil o Netuno sair do fundo do mar. Ou se sabe, não revela.

CONTRA OU A FAVOR

- ENFIM, cara-pálida, contra ou a favor do VAR?

- CONTRA por dois motivos. Primeiro acaba com discussão em torno de um lance duvidoso, prato cheio pra motivar o torcedor anos a fio.

- OUTRO motivo. Árbitro em dúvida, quando vai tirar a prova dos nove, junto a gerigonça, paralisa a partida em no mínimo 3 minutos.

- RAZÃO tem o Felipão em frase genial. Não está longe o dia em que vão entupir de VAR em torno do campo e dispensar a presença do árbitro...

TAGS