PUBLICIDADE

Achados & perdidos

01:30 | 15/05/2019

(1) - PRESIDENTE Robinson de Castro resolveu dar um murro na mesa antes que a boiada do Brasileirão se perca. Exigiu providências ao DM em relação aos contundidos. Foi pessoalmente se ter com o chefe do setor, dr. Henrique Bastos. Quer solução definitiva pro caso Quixadá. Pelo sim, pelo não, ele está em fase de transição, ao lado de Baxola, enquanto Wescley está em ponto de bala pra voltar a campo.

(2) - MESMO sendo cria do São Paulo, onde reinou durante mais de 20 anos, delegação aqui, Rogério Cêni evitou qualquer tipo de visita de cortesia. Entendeu que o São Paulo é página virada na sua vida. O que era pra ser feito, já foi. Antes do jogo, abraçou longamente Cuca e foi ao banco de reservas, cumprimentar um a um os jogadores. Aliás, nenhum deles jogou em sua época, mas a maioria pertencia às bases. Findou aí a chamada cortesia.

(3) - GALHARDO, que vai ganhar a posição de titular do Ceará, barrando, finalmente, Ricardinho, deixou o Vasco por questões disciplinares. Não reveladas quais. Ceará espera que esta "herança" ele não traga pra dentro de Porangabuçu.

(4) - MESMO sendo o artilheiro nato que é, não apareceu um clube sequer interessado em Cariús. Nem mesmo por empréstimo. Revelação, sem pedir segredo, do presidente Newton Filho, do Ferroviário. Dois fatores espantam prováveis compradores: idade do jogador (31 anos) e preço da multa contratual, R$ 3 milhões. Nos bicudos dias de hoje, todos querem economizar.

(5) - PARCERIA Ceará - Fortaleza na administração do Castelão, por enquanto, sem qualquer rusga. Fácil explicar. Cada qual aluga o estádio e dele toma conta em dia de jogo, entre lucros ou prejuízos. Repassam 13% da renda bruta pra Secretaria de Esportes, cuja missão é cuidar da manutenção da Arena. Antes que esqueça. A FCF ainda leva uma ponta de R$ 5%, mesmo sem fazer nada. Enfim, ninguém é ferro.

BEBIDA À VONTADE

- SERÁ no jogo de amanhã, entre Fortaleza e Atlhético-PR, a abertura pra valer da liberação da bebida alcoólica no Castelão, após luta penosa no tapetão da AL. Fortaleza, o primeiro aquinhoado.

- PROJETO original, de autoria do ex-deputado Gony Arruda, atual primeiro secretário. Evandro Leitão resolveu remover as teias de aranha, com aval do governador Camilo Santana.

- APESAR do lobby feito por determinados grupos, incluso aí o senador Luiz Eduardo Girão, o projeto foi aprovado. Pesou fundamentalmente na decisão dos deputados, fato de a campanha feita pela AL, via redes sociais, recolhendo opinião dos torcedores. Houve estrondosa goleada pela liberação.

- APROVADA apenas com uma ressalva. Aliás, um besteirol do tamanho do Castelão. Enorme. Qual, cara-pálida? Dia de clássico-rei, a venda é proibida.

- NESTE dia, torcedores tricolores e alvinegros ficam avisados. Está valendo só água mineral. Com ou sem gás?

- COMUNGAR entes de entrar no Castelão, em dia de Ceará x Fortaleza, pode?

O INCANSÁVEL

- PASMEM, é vero. Chico Coreano, único jogador do elenco do Ceará a participar de 28 jogos encarrilhados, sem nada sentir.

- QUER dizer - não se contunde, não fica cansado e tem melhor preparo físico. Se for dois tempos, ele aguenta. É o único a nunca visitar o DM do clube, nem pra tomar um Tylenol.

- FUTEBOL, que é bom ele pode até não ter. Mas dentro de campo, bola rolando, quem apostar corrida com

o Coreano perde de goleada...

GÁS PELA METADE

- OSVALDO está pro Fortaleza como Quixadá está pro Ceará.

- COMO assim? Não aguenta dois tempos de bola rolando. No segundo, lá pras tantas, bota a língua de fora. Quem dele se lembra fazendo um jogo completo? Ninguém.

- CONTRA o São Paulo, que tanto quis enfrentar, cuja camisa vestiu na época de Ceni, incrível que pareça, contundiu-se antes do jogo, na hora do aquecimento dos jogadores dentro do gramado.

- DETALHE precioso. Osvaldo é um dos três maiores salários do Fortaleza. Devia ser pago pelos minutos que passa em campo.

BOCA DE FORNO

- QUATRO jogos em dez dias. Trocando em horas e minutos, entre Copa do Brasil, Brasileirão e Copa do Nordeste, o Fortaleza entrará em campo de dois em dois dias e meio. Este calendário da CBF não é só cruel e perverso. É criminoso mesmo.

 

TAGS