Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Há 30 anos

02:33 | Jan. 03, 2021
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

1991. BRASIL

Servidor público terá que pagar transporte

Brasília - O Governo terminou de desmontar um dos principais símbolos da chamada mordomia funcional existente desde a fundação de Brasília. Com a extinção do transporte gratuito de servidores, concluída ontem, 75 mil funcionários federais já estão disputando com os demais trabalhadores uma vaga nos ônibus abarrotados das linhas regulares que servem a Capital do País.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Lira diz que debate sobre voto impresso está 'muito polarizado' e pede 'calma'

POLÍTICA
12:22 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse nesta quarta-feira que o debate sobre as urnas eletrônicas e a possibilidade de voto impresso no Brasil está "muito polarizado" e pediu calma e paciência para o Congresso decidir sobre o tema. "Nós estamos perdendo tempo, energia, muitas vezes gerando atritos entre instituições democráticas que são necessárias para o equilíbrio do Brasil de maneira que não trará benefício nenhum, então nós temos que ter nesse momento calma", disse pela manhã em entrevista ao Jornal Gente da Rádio Bandeirantes.
O voto impresso virou uma das principais bandeiras do presidente Jair Bolsonaro e tem gerado conflito entre os Poderes, já que Bolsonaro tem atacado a democracia, instituições e autoridades e colocado em suspeição a realização das eleições no ano que vem caso a medida não seja implementada no Brasil.
Lira disse que já existe desde 2015 no Senado uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre o tema aprovada pela Câmara, e jogou a decisão para os senadores. "Nós temos que ter paciência e esperar que as Casas Legislativas se pronunciem. Se a Câmara vai ter que votar as duas (propostas) para que fique as duas paradas no Senado, ou se o foco teria que ser: Senado, decida se vota ou não uma PEC que está aí há seis anos, porque se não votar uma PEC que está lá em 2015, não vai votar uma que vai aprovar em 2021", afirmou, em referência à PEC apresentada este ano, de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF) e que prevê a impressão da cédulas, conforme quer Bolsonaro.
Durante a entrevista, o presidente da Câmara falou em favor do sistema atual, mas não deixou de apoiar, em parte, o pleito de Bolsonaro. "Neste sistema, foram seis eleições. Eu não tenho nenhum fato relevante que eu possa falar que houve fraude nas urnas eletrônicas, eu não posso desconfiar de um sistema que eu fui eleito. Mas a discussão é, se não há falha, se não há problema, por que ficar discutindo essa versão? Por que essa versão cresce? o Brasil é feito com problemas de versão", destacou.
Mas completou com a defesa de alguma auditagem das urnas: "se não há problema, não há porque nós não chegarmos numa situação de termos uma auditagem seja lá de que maneira for, de forma mais transparente, para que não se tenha uma eleição, independente do que seja eleito, contestada.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tóquio: Felipe dos Santos fecha primeiro dia do decatlo em 12º lugar

Esportes
12:22 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O brasileiro Felipe dos Santos concluiu em 12º lugar a primeira metade do decatlo na Olimpíada de Tóquio (Japão). A competição,  estreante nos Jogos, começou na noite desta terça-feira (3), no Estádio Olímpico, na capital japonesa, com três provas do atletismo. O atleta completou os 100 metros rasos em 10s58, somando 956 pontos. No salto em distância, ele alcançou 7,38 m e adicionou outros 905 pontos. Na terceira prova da noite, Felipe anotou 14,13 m, totalizando 736 pontos. Na manhã de hoje (4), o brasileiro alcançou 2 m no salto em altura, e na última prova completou os 400 m rasos em 49s31, fechando o primeiro dia decatlo com somatória de 4266. A liderança ficou com o norte-americano Ashley Moloney com 4722.

Logo mais, a partir das 21h (horário de Brasília), os competidores disputarão as últimas cinco provas da modalidade: lançamento de peso, lançamento de disco, lançamento de dardo, salto com vara e a corrida de 1.500 metros.

Brasileiros no atletismo

No fim da noite desta terça-feira (3), Gabriel Constantino e Rafael Pereira foram eliminados nas baterias classificatórias dos 10 m com barreiras. Constantino chegou em último lugar (13s89), e Rafael Pereira em sexto (13s62).

* Atualizado às 12h07 para atualização de informações com o resultado das últimas duas provas da modalidade realizadas na manhã desta quarta-feira (4)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Na CPI, Blanco alega que negociação com Dominghetti era para 'mercado privado'

POLÍTICA
12:16 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em sua fala inicial à CPI da Covid, o ex-assessor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde coronel Marcelo Blanco alegou que conversas com o policial militar Luiz Paulo Dominghetti, que se apresenta como representante da Davati Medical Supply, eram para negociar vacinas ao mercado privado, pois ele já havia deixado o cargo no Ministério da Saúde, já que foi exonerado da pasta em 19 de janeiro.
O ex-assessor então exibiu à CPI uma série de mensagens e áudios que teria trocado com Dominghetti, em que ele questionava o preço dos imunizantes ao mercado privado, inclusive afirmando que quando pediu ao representante que fosse a Brasília, levasse representantes do setor privado para tratar sobre o tema. A viagem teria sido na mesma semana em que Dominghetti se encontrou com o ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias e teria recebido um pedido de propina do diretor para fechar o contrato com a Saúde.
Segundo Blanco, que era subordinado de Roberto Dias, seu primeiro contato com o policial ocorreu por meio do coronel Odilon, que fez a intermediação entre ele e Dominghetti na oferta de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca à Saúde. As conversas com o policial, segundo Blanco, começaram no início fevereiro, "quando fui informado por ele que as tratativas sobre as supostas vacinas já haviam sido iniciados por meio da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah) ", falando sobre a organização comandada pelo reverendo Amilton Gomes de Paula.
Mesmo assim, segundo Blanco, o representante da Davati queria oferecer ao departamento logístico a proposta de venda "para que diversos departamentos do ministério" tivessem "ciência da irrecusável proposta" na busca da celeridade da oferta. Blanco, então, afirmou que teve que explicar ao policial como se dava o rito processual do ministério "já que ele não tinha nenhum raso conhecimento de como proceder diante daquele órgão", afirmando que indicou ao representante os e-mails institucionais de departamento logístico que deveriam ser enviados ao ministério para decidir se as negociações deveriam avançar ou não.
De acordo com Blanco, ele foi convidado a integrar o Ministério da Saúde na equipe do então ministro Eduardo Pazuello em abril de 2020, por indicação do coronel Franco Duarte, um amigo de turma que conhece há 35 anos, disse. A nomeação foi encarada, segundo ele, como "missão e esforço de guerra". "Ficou bem claro que não teríamos horário de fim de expediente, sábado, domingo ou feriado, tudo em nome da busca da solução da pandemia mundial", afirmou.
Segundo ele, suas funções eram de natureza consultiva, tendo se negado a ocupar cargos que envolvessem orçamentos ou ordenação de despesas. O coronel declarou que foi convidado por Pazuello, que a proposta de permanência no cargo era de noventa dias, mas sua permanência na pasta se estendeu por oito meses, até ser substituído pelo atual diretor do Departamento Logístico, general Ridalto Lúcio Fernandes.
Irregularidade
Durante a explicação de como se deram seus encontros com Dominghetti para tratar da venda de vacinas para o mercado privado, o vice-presidente do colegiado, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), interveio e afirmou que as tratativas estariam ocorrendo com base na irregularidade, já que a venda de vacinas no mercado privado não havia sido aprovada pela Congresso Nacional.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid: Para Ministério da Saúde, melhora no cenário epidemiológico é resultado da vacinação

FRUTOS DA VACINAÇÃO
12:14 | Ago. 04, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O Ministério da Saúde (MS) informou na última terça-feira, 4, que a média móvel de casos e mortes por Covid-19 chegou ao número mais baixo desde janeiro deste ano. As quedas nas notificações foram registradas no dia 2 de agosto. A média de óbitos dos últimos 14 dias chegou a 1,03 mil, sendo considerado o número mais baixo desde o dia 29 de janeiro.

Os números de novos casos também diminuíram, a média móvel está em 40,12 mil. É o menor número registrado desde 8 de janeiro. Os dados estão disponíveis na plataforma LocalizaSUS. Apesar da melhora, o País já soma 558.432 óbitos acumulados e 1.209 nas últimas 24 horas. 

O Ministério reconhece que a melhora no cenário epidemiológico do Brasil é consequência da vacinação contra a Covid-19. Com cerca de 160 milhões de brasileiros acima de 18 anos, o País tem 101 milhões de pessoas com a primeira dose, 63% do total. A segunda dose ou a vacina de dose única, já chegou a 41,5 milhões de pessoas, equivalente a 25% do público-alvo da campanha.

LEIA MAIS | CoronaVac é 86% eficaz na prevenção da morte por Covid, aponta relatório de vacinas no Chile

França ativa plano de emergência em hospitais após aumento de casos de Covid

A média móvel de mortes é calculada somando as mortes confirmadas nas últimas 24 horas com as que foram registradas nos seis dias anteriores. Com atualizações recorrentes, a média móvel de casos ajuda os especialistas a avaliarem a situação da pandemia, apontando para o aumento ou a estabilização dos números.

O MS afirma que a redução no número de casos e óbitos já é observada nas últimas semanas, de forma progressiva. De 25 de junho a 25 de julho, a média móvel de casos teve queda de 40%. Já quanto ao número de óbitos, a redução foi de 42%. Nos últimos 4 meses, houve uma queda 46% na média móvel de casos e de 65% na de óbitos pela Covid-19.

*Com informações do Ministério da Saúde e das secretarias de saúde dos estados brasileiros.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

CPI: Coronel mostra áudios de negociação de vacina; senadores veem atividade ilegal

Comissão
12:12 | Ago. 04, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O tenente-coronel Marcelo Blanco apresentou, durante sua oitiva na CPI da Covid, nesta quarta-feira, 4, uma série de mensagens trocadas com o policial militar Luiz Paulo Dominghetti, que se apresentou à CPI como um vendedor de vacinas por intermédio da Davati. O conteúdo foi apresentado enquanto Blanco tentava explicar a sua participação na negociação de compra de vacinas da AstraZeneca. 

Os áudios e mensagens mostram Blanco, já fora departamento de Logística do Ministério da Saúde, tratando de negociação de venda de vacinas para a iniciativa privada. As conversas se deram no mês de fevereiro, entre os dias 9 e 22.

Porém, a compra de vacinas pela iniciativa privada apenas foi sancionada no dia 11 de março. As datas fizeram com que os membros da CPI constatassem que a compra tratava-se de uma atividade ilegal, uma vez que a legislação que autorizava sua efetivação no momento.

“A primeira menção a se ter uma lei é do dia 18 de fevereiro. A primeira reunião ocorre no dia 21 de fevereiro, eu participei, sob a resistência do governo [ao projeto de lei]”, disse o vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues.

Segundo o parlamentar, a legislação sancionada permite a compra por iniciativa privada apenas após a vacinação de todos os grupos prioritários pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). O projeto de lei que previa a compra imediata por iniciativa privada só viria a ser apresentado e aprovado pela Câmara em março. A proposta acabou engavetada no Senado.

Em defesa, o coronel aformou que estava apenas se adiantando e "construir um modelo de negócio” antes da aprovação da lei. “A gente vem acompanhando [o debate] no que é público. E eu falei para ele [Dominghetti] ‘precisamos desenhar uma estratégia almejando esse mercado’. Eu gostaria de ter algo já desenhado”, disse Blanco.

CPI da Covid ao vivo: Coronel que esteve em jantar onde houve suposto pedido de propina depõe nesta quarta-fera, 4:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags