Participamos do

Uma ferida

01:15 | Mai. 10, 2022
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Eu não sei você, mas eu quero ir. Não sei para onde, nem quando, mas eu vou.

Se é certo ou não, se vai doer ou não, eu quem vou descobrir.

Talvez eu chore, talvez eu morra, talvez, talvez... bem, eu não sei.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Posso cair... da ponte, da cama, da cadeira, da escada... Será se eu aguento? O frio, o calor, o desespero, a dor... Talvez não... Puts, "talvez" de novo.

Não tenho certeza... Dói pensar, relembrar, agir. A certeza, o olhar, limpar o óculos com pesar... E mesmo assim eu ainda vejo.

Não é difícil enxergar. Mas sabe, tudo isso é difícil... perceber que mesmo tentando, parece que nada vai mudar.

A meu ver, eu só desloquei algo de lugar, mas o erro, a dor, o medo, me dá a certeza que eu continuo estancada no lugar.

E que aquilo que era pra ser uma mudança, se torna apenas dor e falsa lembrança.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar