Participamos do

Rotinas acontecem, imprevistos também

Dia desses conversando com minha mãe, ela disse que desde criança eu era independente, não pedia ajuda, quando chegava da escola tirava a farda, guardava e corria para o banho. Parece ser uma lembrança boa de viver, mas que eu não lembro. Entretanto, sendo a adulta que me tornei/torno (dia após dia) não me choca a previsibilidade, controle e organização velados, que ainda não foram descobertos pelo pequeno eu. Não sou do time ''quero tudo do meu jeito, no meu tempo, caso contrário, passo'', sou adaptável, maleável, sem deixar minha opinião e meus quereres de lado, porém, prezo por uma rotina específica, sem pressão, mas gosto de deixar a ''sala da rotina'' ao longe com a luz acesa só para ter a sensação de que tenho o mínimo controle e consequentemente não surtar de vez. Gosto do controle saudável, existe?! Em minha defesa, alego gostar de programações pseudo cronogramas, pelo simples fato de ser ansiosa e gostar de contar com frustrações, visto que é impossível tudo sair como planejamos/idealizamos. Talvez eu seja teimosa e resistente. Lembrei agora que iniciei a escrita querendo dizer uma coisa e disse outra, tudo isso para lembrar que após semanas planejando um aniversário x, ele não sairá como planejei no primeiro esboço mental criado há meses. Rotinas acontecem, imprevistos também.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar