Participamos do

Na Ponta

01:15 | Mar. 22, 2022
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Eu queria muito

Não me sentir atacada

Não me sentir usada

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Ou até mesmo molestada pela vida

Talvez o que eu digo seja estranho

Minha cabeça está em outro plano

E eu não consigo sair do lugar

Eu já tentei de tudo

Mas a voz não some

Todo dia mais me consome

E eu sou obrigada a aguentar

Me sinto num vazio

Não sinto a acolhida

Apenas uma mão fria

Sempre me conduzindo a voltar

Eu sinto a morte chegando

Meu coração parece estar parando

E o mundo diminuindo e acabando

Eu tento tocar algo

Mas é como se eu sumisse no meio do espaço

São vários dedos apontados

E meu "eu" sendo julgado

A ponte tem um tempo frio

A água é límpida e bonita

As minhas lágrimas também são bonitas

E meu olhar é límpido

Mas depois do pulo,

Se tornou vazio.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente