Participamos do

Palavras superestimadas, ações subestimadas.

01:15 | Jan. 25, 2022
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Não. Não vou gostar de você, não vou me apaixonar, não vou te amar; ao invés disso, vou observar cada um de seus detalhes, vou rir de suas piadas sem graça; conhecerei suas manias e manhas. Vou implicar com você, te xingar e depois te fazer prisioneiro em meus braços. Vou ter receio de ficar tão perto, vou te abraçar no meio da noite e vou querer com todo o calor do meu coração que seja você. Vou te mandar embora e te pedir para ficar. Vou sentir sua falta, te fazer um carinho, te deixar grudado em mim. Vou te dar afago quando bem não estiver, te levar o meu doce quando doente ficar. Vou te ver à noite, sozinha, do outro lado da cidade, de ônibus ou sei lá. Serei para você sua fuga, seu ponto de paz. Eu vou me arriscar, me jogar, transbordar. E não, não vou te falar, vou te mostrar.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente