Participamos do

Idas e vindas

01:15 | Nov. 23, 2021
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um te mata, outro te cura. Com os fins, costumamos chorar de tristeza, medo, desespero... Nunca sabemos qual a razão ao certo ou se é a mistura de todas elas. Com os inícios, vem a esperança de dias melhores, vem as cores mais vivas... ou talvez, em um dos casos, não venha nada. Seja só o alívio. Corações partidos doem, mas libertam. A cura é um processo. Por que insistimos em ser imediatistas, se sabemos que nada é para agora? Confiar em ti e no processo é tão doloroso assim? Não, não é. Precisamos balancear as coisas, o senso de urgência é mais que necessário, mas saber o tempo que é preciso ser acionado é o mínimo. Idas e vindas são necessárias. É o que nos compõe.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente