PUBLICIDADE
NOTÍCIA

REVIEW: Ender Lilies: Quietus of the Knight

Na medida em que o jogo se desenvolve, novos personagens são introduzidos e novas informações são coletadas, expandindo a narrativa e expondo todo o obscuro e interessante universo do título

18:04 | 28/07/2021
O enredo do jogo acontece em um reino destruído, chamado Land’s Fall (Foto: Divulgação)
O enredo do jogo acontece em um reino destruído, chamado Land’s Fall (Foto: Divulgação)

Ender Lilies: Quietus of the Knights é um RPG de fantasia em duas dimensões com uma atmosfera sombria e enredo instigante. Apoiado no estilo “metroidvania” em que a exploração do mapa depende da obtenção de novas habilidades, o enredo do jogo acontece em um reino destruído, chamado Land’s Fall. Assolado por uma misteriosa chuva mortal, a terra se vê repleta de ruínas e monstros. Nela, uma jovem chamada Lily acorda sem memória nas profundezas de uma igreja. Com a ajuda do espírito de um guerreiro que decide auxiliar a jovem, cabe ao jogador no controle de Lily desvendar os mistérios que levaram ao declínio do mundo e buscar uma maneira de salvá-lo.

Munido com a habilidade de assimilar outros espíritos poderosos espalhados pelo mundo, o jogador inicia sua jornada pelo game sabendo quase nada sobre o que levou Land’s Fall ao completo apocalipse. Ao passo que o jogo se desenvolve, novos personagens são introduzidos e novas informações são coletadas, expandindo a narrativa e expondo todo o obscuro e interessante universo do título.

O cenário do jogo apresenta um visual muito bonito, apesar do aspecto escuro e trágico. Em contraste a vilarejos e florestas arrasados pela praga oriunda da misteriosa chuva, catedrais e castelos imponentes oferecem espaços super detalhados e bem desenhados para serem explorados. A protagonista Lily é quase a última centelha de luz em um espaço totalmente tomado pela escuridão e pelo desespero aparente. Junto a esta estética, as animações de personagens e inimigos impressiona pela suavidade e beleza. É um festival de detalhes singelos, como a movimentação dos cabelos da protagonista, que dão um ar especial à jogatina em Ender Lilies.


Há uma ampla variedade de inimigos que, apesar de terem todos o mesmo aspecto decaído, não deixam a aventura tediosa. Além da aparência, sua movimentação e ataques também são diferentes e emanam uma aura similar à dos algozes de jogos como Dark Souls e Bloodborne. Ainda inspirados nestes títulos, os chefões do jogo oferecem - cada um - um desafio diferente por meio de mecânicas e padrões de movimento distintos. Para detê-los, entretanto, a protagonista conta com a ajuda de espíritos de guerreiros caídos e que são desbloqueados ao longo do jogo. Alguns precisam ser derrotados primeiro antes de se juntarem à Lily. Cada novo espírito oferece ao jogador novos comandos de ataque e defesa, que são associados aos botões do controle e podem ser customizados livremente pelo jogador. É possível ainda guardar combinações específicas de espíritos, quase como builds diferentes, que podem ser equipadas rapidamente pelo jogador, quando necessário.

O primeiro espírito, obtido no início do game, é o de um guerreiro sem memória e traz consigo a habilidade de golpear os inimigos em diferentes direções, no solo ou no ar também. Outros espíritos trazem habilidades diferentes e com um número limitado de usos, até serem renovadas em pontos de descanso. Há espíritos que concedem ataques à distância e formas de defender golpes poderosos. Cada chefe do jogo pode ser derrotado mais facilmente a partir do uso do ataque ou defesa de um espírito específico. Por conta da limitação do uso destas habilidades, pode acontecer de o jogador chegar em um chefe desprovido de uma habilidade crucial para superá-lo. Lily pode convocar até seis espíritos diferentes durante a jornada, então se faz necessário pensar estrategicamente e escolher os espíritos certos para enfrentar certos obstáculos.

Acompanhando a estética já mencionada, o jogo traz uma trilha sonora atmosférica e encantadora. Durante os momentos de exploração do jogo, a trilha apresenta tons suaves e tristes, que logo são substituídos por sons e arranjos mais pesados e dinâmicos nos momentos de combate e nos embates contra chefes.

Sobre sua dinâmica de exploração, Ender Lilies: Quietus of the Knights se assemelha bastante a títulos metroidvania recentes, como Hollow Knight e Blasphemous. Similar a tais jogos, o elemento da morte não gera tanta frustração e serve mais como parte da experiência de jogo. Isto porque toda vez que Lily morre, ela acordará em um banco próximo, que serve tanto de ponto de descanso, quanto de salvamento e local para customização das habilidades e espíritos equipados. É possível também revisar achados obtidos durante a jogatina, além de manuscritos e informações que revelam a história por trás dos acontecimentos do jogo.

Ender Lilies não é apenas belo, mas diverte e tem um enredo que entrega - ao seu final - uma história impactante e bem escrita. É uma experiência de jogo agradável, apesar de sombria, e que prenderá a atenção daqueles que decidirem embarcar na jornada de salvação das terras arrasadas de Land’s Fall.

Ender Lilies: Quietus of the Knights está disponível para PS4, Xbox One, Xbox Series X|S, Nintendo Switch e PC.