PUBLICIDADE
NOTÍCIA

REVIEW: Mario Golf: Super Rush

Nascida nos tempos das locadoras, durante a era do Nintendo 64, a série Mario Golf surpreendeu e agradou por combinar uma jogabilidade simples com uma dinâmica multiplayer muito divertida

20:14 | 06/07/2021
Este é talvez o Mario Golf mais complexo da série, pela quantidade de novas variáveis e obstáculos introduzidos (Foto: Reprodução)
Este é talvez o Mario Golf mais complexo da série, pela quantidade de novas variáveis e obstáculos introduzidos (Foto: Reprodução)

Mario Golf: Super Rush é mais um lançamento esportivo da Nintendo para o Nintendo Switch. Apesar de não ser o melhor dos títulos da série Mario Golf, é uma boa opção para fãs do esporte ou para aqueles jogadores que curtem a competição sem jamais abrir mão da diversão.

O Brasil está longe de ser o país do golfe. Apesar disto, a franquia Mario Golf é velha conhecida dos gamers brasileiros. Nascida nos tempos das locadoras, durante a era do Nintendo 64, a série surpreendeu e agradou por combinar uma jogabilidade simples com uma dinâmica multiplayer muito divertida. Sua natureza descomplicada e bem humorada se mantém em Super Rush, mas agora está mais bela do que nunca rodando no Nintendo Switch.

Até a data de publicação desta análise, o game oferece quatro modos de jogo. Além do modo competitivo normal, que reproduz as mecânicas reais do golfe, no modo Speed Golf, você e outros jogadores disputam tanto na habilidade em colocar a bolinha no buraco quanto na velocidade da corrida frenética de uma tacada a outra. Cada personagem jogável da franquia Mario possui características próprias e poderes muito diferentes e interessantes. O anti-herói, Wario, por exemplo, pode lançar uma nuvem negra que emite raios e atrapalha a partida dos demais jogadores. Já Mario evoca o poder especial da estrela para lançar uma bola que afasta as demais no impacto com o campo.

Há também o modo Battle Golf, que coloca os jogadores em uma de (apenas) duas arenas de jogo com um número reduzido de buracos, mas menos interferências de fatores externos - como vento e precipitações - que incidem sobre as partidas normais. Ademais, há também um modo campanha que apesar de empolgar no começo deixa muito desejar ao final pela falta de criatividade e pela impossibilidade de se jogar com outros personagens além do seu avatar, ou Mii.

O maior lamento em relação aos modos de jogo em Super Rush, porém, não estão neles em si, mas sim na forma em que são desbloqueados. Você inicia o jogo apenas com os modos tradicionais e mais básicos. Para desbloquear os modos mais interessantes é necessário avançar no modo campanha, quebrando a vibe casual e descontraída do jogo. Acredito que não haverá um jogador que defenda a ideia de esconder modos multiplayer atrás de modos para um jogador. É claro que algo assim acontece em outros títulos da Nintendo, como no aclamado Super Smash Bros. Ultimate, que bloqueia o acesso a todos os personagens jogáveis no início do jogo. A diferença é que em Smash é possível desbloquear novos lutadores tanto nos modos singleplayer como também jogando o multiplayer do título. Infelizmente, em Mario Golf: Super Rush este não é o caso.

Independente do modo de jogo, entretanto, o jogo é como um todo muito divertido. É talvez o Mario Golf mais complexo da série, pela quantidade de novas variáveis e obstáculos introduzidos, mas não é nada tão complicado que em uma ou duas partidas já não tenha deixado de ser um importuno a qualquer jogador. É possível escolher entre vários tipos de tacos diferentes - cada um com seu propósito - além da possibilidade de curvar e aplicar efeitos às tacadas. Este é um daqueles jogos em que a diferença entre um amador e um mestre é apenas o tempo dedicado em sua jogatina. A boa notícia aos iniciantes é que há muita informação que auxilia e ensina sobre os fundamentos do golfe durante o gameplay. O modo campanha é também uma excelente maneira de aprender e se dar bem no jogo com o passar do tempo.

E se tratando do modo campanha, é louvável o esforço da desenvolvedora Camelot de manter em todo Mario Golf um modo singleplayer para aqueles que buscam aproveitar o jogo sozinhos. Entretanto, este é o modo que recebeu menos carinho da equipe do jogo até o seu lançamento. O modo traz todas as mecânicas e modos de jogo dentro de si e gira em torno de uma história divertida envolvendo o seu Mii e os habitantes do Reino do Cogumelo. Dito isso, infelizmente sua implementação não faz jus à ideia original. Mapas vazios, personagens não-jogáveis pouco interessantes, diálogos repetitivos e a falta de criatividade no próprio enredo fazem deste a maior decepção em Super Rush. Este será, possivelmente, o modo menos acessado pela maioria dos consumidores que comprarem o game, mas com certeza estaria no topo do interesse dos jogadores mais fanáticos pela franquia, não fosse tão decepcionante.

Mario Golf: Super Rush é um bom simulador de golfe que traz o tempero mágico que faz todos os jogos first party da Nintendo especiais. Os novos modos de jogo e o aumento da complexidade no gameplay são muito bem vindos, mesmo tendo resultado em uma atenção menor por parte da equipe de desenvolvimento do jogo ao tão querido modo single player da franquia.

Mario Golf: Super Rush está disponível exclusivamente para o Nintendo Switch.