PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Review: Bravely Default II

Belo na aparência, mas desafiador no combate, Bravely Default II é um ótimo RPG para o Switch

00:12 | 02/03/2021
Bravely Default II, para Nintendo Switch. (Foto: Divulgação)
Bravely Default II, para Nintendo Switch. (Foto: Divulgação)

Bravely Default II é o segundo título de uma franquia que teve suas origens nos portáteis, mas é longe de uma aventura pequena ou limitada. Entre horas e horas de batalhas igualmente desafiadoras e divertidas, seu enredo se destaca em meio a uma quantidade por vezes exagerada de conteúdo secundário. Apesar da aparência infantil, este é um RPG japonês para gente grande, com sistemas de jogo complexos e uma curva de aprendizado íngreme.

O game esteve presente na mente dos fãs do primeiro Bravely Default desde que foi anunciado, há mais de um ano atrás, mas para donos de Nintendo Switch que nunca tiveram um Nintendo 3DS - seu último portátil - a demo lançada em dezembro de 2020 trouxe uma pequena amostra do produto final, recém-lançado. O game se trata de um RPG para um jogador, feito aos moldes japoneses, com um sistema de combate em turnos e um vasto e épico enredo.

A história se passa no mundo de Excillant. Nele, Seth, um jovem marinheiro que, junto de seus companheiros, a princesa Gloria, o nobre Sir Sloan, o cientista Elvis e mercenária Adelle, parte em busca de recuperar cristais mágicos que trarão de volta a ordem e a paz, perdidos há tempos. Cada personagem tem motivações e arcos narrativos próprios, que se desenvolvem ao longo da jornada e que podem ser expandidos a partir de missões secundárias, espalhadas desde o primeiro reino do game, Halcyonia, até o fim.

Apesar de gráficos pouco detalhados, a direção de arte em Bravely Default II é belíssima. Apoiada em um estilo que mescla gráficos tridimensionais com aquarelas, cada reino presente no game é apresentado como uma maquete ou diorama, dando a sensação de estar interagindo com um livro infantil, algo já feito por outros games, mas não menos merecedor de reconhecimento e elogios. Infelizmente, tal estética pode confundir um pouco o jogador e fazê-lo perder a localização de certos prédios e lojas que acabam se mesclando com o cenário em alguns reinos do game. Fora de cada reinado, contudo, o game assume a estética de um grande mapa geográfico, tornando cada masmorra, cidade e castelo visíveis e fáceis de localizar.

Também presente no mapa do game estão inimigos que, felizmente, só iniciam uma sequência de combate ao encostarem no jogador. Ou seja, é possível tanto evitar embates indesejados quanto se esgueirar até o inimigo e atacá-lo primeiro, iniciando o combate por turnos com alguma vantagem sobre o oponente. Infelizmente, o mesmo pode ocorrer ao contrário e inimigos que chegarem até o jogador pela retaguarda iniciarão uma batalha em situação de vantagem.

A dinâmica de combate do game é desafiadora, emocionante e uma de suas melhores qualidades. Cada personagem e inimigo seguem uma lógica de ações por turnos. Ao longo de uma partida, Brave Points (ou "pontos de bravura") são acumulados e podem ser usados para realizar ataques, uso de itens e habilidades especiais. Além das opções de bravura, é possível optar por opções padrão, ou "Default", em que os personagens assumem posturas defensivas, permitindo a recuperação instantânea de Brave Points gastos até então. Tais mecânicas de combate parecem simples, mas exigem raciocínio e algum tempo para serem dominadas. O segredo do sistema de combate de Bravely Default II é saber as fraquezas de cada tipo de inimigo e adequar seus personagens de acordo.

O game inclui um sistema de classes extenso, permitindo controlar o arsenal de ataques e magias de cada personagem. Cada herói pode receber uma função principal e uma secundária, determinando assim suas características ofensivas e defensivas ao longo de cada nível de experiência obtido durante a jogatina. São várias as classes para desbloquear e atribuir à sua equipe, incluindo clássicos como monge, ladino e diferentes tipos de mago. Equipamentos, como armas e armaduras também podem ser obtidas ao longo da jornada, fornecendo a cada avatar bônus dentro e fora de batalhas.

Outro sistema interessante trazido em Bravely Default II é o de conversa entre os personagens controláveis do game. De tempos em tempos uma notificação surgirá indicando que sua equipe tem algo a conversar. Tais chats são muitas vezes opcionais, mas servem para expandir e aprofundar a narrativa, com relatos e revelações de cada personagem que ajudam a prender a atenção do jogador a cada evento ocorrido durante a jogatina. Uma novidade em comparação ao título anterior é a possibilidade de realizar expedições com alguns personagens. Tais eventos ocorrem enquanto o Switch estiver em modo de hibernação e servem para obter itens e experiência adicional, mesmo quando o jogador não estiver jogando o game. Ao ligar o aparelho e voltar ao game, uma cartela é exibida trazendo um resumo da última aventura ocorrida.

Bravely Default II é mais um ótimo exclusivo para o Nintendo Switch em 2021. Seu combate pode intimidar no começo, mas a beleza de seu mundo e o talento da equipe de desenvolvimento na criação de personagens cativantes e um enredo épico e fantástico, fazem deste um título obrigatório para quem é fã de RPGs e dono de um Switch.