PUBLICIDADE
Saúde
Substância

Cogumelo mágico é a droga mais segura do mundo, diz pesquisa

Além do uso recreativo, cogumelos mágicos são usados para o tratamento de casos clínicos severos de depressão e ansiedade

13:14 | 25/05/2017
Um dos cogumelos da espécie Psilocybe semilanceata que possui efeitos psicotrópicos. Foto: Reprodução
Dentre todas as drogas consumidas recreativamente, os cogumelos são as mais seguras de todas, diz o maior estudo anual sobre drogas do mundo, segundo informações do jornal britânico The Guardian, o Global Drug Survey - Pesquisa Global de Medicamentos em tradução livre. O fundador da organização homônima que realiza o estudo, Adam Winstock, disse ao veículo inglês que "cogumelo mágico é uma das drogas mais seguras no mundo".
 
Ele ainda explicou que o maior risco é associado aos indivíduos escolherem e comerem os cogumelos errados. O Global Drug Survey de 2017 contou com quase 120 mil participantes de 50 países. As perguntas cobrem os tipos de substâncias que as pessoas tomam, padrões de uso e se eles passaram pela experiência de algum efeito negativo.
 
Os números dos dados reunidos mostram que 65,1% das pessoas que participaram da pesquisa disseram que já usaram drogas recreativamente como os cogumelos no último ano. Já 79,3% disseram já ter utilizado drogas recreativamente em algum momento da vida deles. No geral, 28 mil pessoas disseram ter usado cogumelos mágicos em algum momento da vida, com 81,7% procurando por uma "experiência psicodélica moderada" e por uma "melhoria no ambiente e nas interações sociais".
 
Além do uso recreativo, cogumelos mágicos são usados para o tratamento de casos clínicos severos de depressão e ansiedade. No entanto, não são completamente inofensivos. Winstock diz que "combinado com álcool e com o uso em ambientes arriscados ou desconhecidos aumenta os riscos de danos como lesões acidentais, pânico e curta duração, desorientação e medo de perder a consciência”.
 
Só que, comparado aos que consomem o cogumelo mágico, o LSD levou 1% (ou seja, 95 consumidores) dos 10 mil consumidores que foram questionados ao tratamento médico de emergência. Valor esse cinco vezes maior do que os consumidores do cogumelo.