PUBLICIDADE
Política
PROPINA

Quase 2 mil candidatos de 28 partidos receberam doações da JBS, segundo delator

Empresa destinou R$ 600 milhões a campanhas de deputados federais, senadores e governadores. Delator afirma que, do total, somente R$ 15 milhões não foram repassados de forma ilegal

17:46 | 19/05/2017

Com R$ 600 milhões, a JBS irrigou as campanhas de 1.829 candidatos de 28 partidos das mais varias siglas, segundo delação premiada do diretor da JBS, Ricardo Saud. Com a ajuda da companhia, 179 deputados federais de 19 siglas foram eleitos. O executivo aponta ainda colaborações para 28 senadores da República e 16 governadores.

Do montante, somente R$ 15 milhões não foram repassados como propina. O restante é "tudo propina", como Saud afirmou em depoimento.

"É importante a gente trabalhar que desses R$ 500 milhões, quase R$ 600 milhões que estamos falando aqui, praticamente, tirando esses R$ 10, R$ 15 milhões aqui, o resto tudo é propina. Tudo tem ato de ofício, tudo tem promessa, tudo tem alguma coisa. Então eu gostaria de deixar registrado que nós demos propina para 28 partidos. Esse dinheiro foi desmembrado para 1.829 candidatos. Eleitos foram 179 deputados estaduais de 23 estados, 167 deputados federais de 19partidos. Demos propina para 28 senadores da República, sendo que alguns disputaram e perderam eleição para governadores e alguns disputaram a reeleição ou eleição para o Senado. E demos propina para 16 governadores eleitos, sendo quatro do PMDB, quatro do PSDB, três do PT, dois do PSB, um do PP, um do PSD. Foi um estudo que eu fiz, por conta minha (...) Acho que no futuro vai servir. Aqui estão todas as pessoas que receberam propina diretamente ou indiretamente da gente", disse o diretor da JBS.

Segundo Saud, dificilmente, os beneficiados não sabiam que as doações eram dinheiro de propina. "Eu falo direta ou indiretamente pelo seguinte: é muito difícil o cara não estar sabendo que o PT comprou o partido X ou deixou de comprar o partido Y, que o Aécio comprou o partido X ou deixou de comprar o partido Y. Se ele recebeu esse dinheiro, ele sabe de um jeito ou de outro (que) foi de propina. Essas pessoas estão cientes disso", disse.