PUBLICIDADE
Fortaleza
Segurança

Homicídios em Fortaleza crescem 114% em relação a julho do ano passado

Para o titular SSPDS, André Costa, os índices são preocupantes

20:22 | 11/08/2017
Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), em Fortaleza, cresceram 114% em julho último, comparado a julho do ano passado. Na Região Metropolitana (RMF), o aumento foi ainda maior, 164,7%, enquanto no Interior Norte a alta é de 71,7%. Os índices de CVLI e Crimes Contra o Patrimônio (CVP) e Furto, do último mês e acumulado de 2017 foram apresentados na tarde desta sexta-feira, 11, pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). 

Houve crescimento em 35,7%, as prisões e apreensões em flagrante por CVLI, tráfico de drogas, roubo, porte, posse e comércio de arma de fogo. O número é referente ao mesmo período do ano passado. Foram 1.277 capturas só em julho último. No mesmo período do ano anterior, foram 941 capturas. O acumulado, de janeiro a julho deste ano, aponta 8.817 prisões contra 7.867 do ano passado (12,1%). Já a alta em armas apreendidas pelas forças de segurança do Estado foi de 22,7%, aumentando de 460 para 601; e de 3.446 para 4.313 no acumulado.

Houve crescimento também no número de entorpecentes que foram apreendidos pela Polícia. Se em julho do ano passado foram colhidos 243,02 kgs, foram apreendidos, desta vez, 1.030,83 kg. O aumento é de 324,2%. Os CVP (roubo a pessoa) aumentaram 18,9% na Capital, com 3.640 ocorrências registradas, em relação aos 3.061 de julho do ano passado. O crescimento de roubo de carga, roubo com restrição de liberdade da vítima, roubo a residência, roubo de veículo e roubo a banco foi de 20,6% em Fortaleza e de 82,3% na Região Metropolitana. A pasta apresentou também que houve queda no número de furtos na Capital, indo de 19.441 para 18.380 (-5,5%).

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, classifica os índices como preocupantes. "Estamos em alerta, mas estimulados e trabalhando muito para melhorar e reduzir o número de vítimas da violência", afirmou. "Não só estamos focando nos reforços e tecnologia, mas também na capacitação dos nossos servidores. Temos previsão de dois cursos, um pela Polícia Federal e outro pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp), sobre investigação de homicídios".
 
Redação O POVO Online