PUBLICIDADE
Fortaleza
Série de ataques

Notícias se espalham por redes sociais e WhatsApp; veja o que é boato

A disseminação dessas informações seja por áudio, imagens, vídeos e textos tem causado pânico em parte da população

14:50 | 20/04/2017
(Foto: Fábio Lima/ O POVO)
 Desde que a onda de ataques no transporte público teve início em Fortaleza e na Região Metropolitana, muitas notícias começaram a ser compartilhadas nas redes sociais e em grupos de WhatsApp. A disseminação dessas informações seja por áudio, imagens, vídeos e textos tem causado pânico em parte da população. Parte do que é dito, no entanto, não passa de boato.
 
Ataque a sede da Guarda Municipal: Verdade 
Por volta das 9 horas da manhã desta quinta-feira, suspeitos subiram no muro da antiga sede da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), localizada no bairro Rodolfo Teófilo, e efetuaram disparos contra o prédio. Em grupos de WhatsApp e nas redes sociais, a informação foi compartilhada como se fosse na atual sede. Segundo a assessoria do órgão, na nova sede, que é localizada no bairro Vila União, não houve nenhum atentado, mas a segurança do local já teria sido reforçada.  
 
Hospital alvejado a tiros: Boato 
Outra história que ganhou força entre a população e foi muito compartilhado, é de que o Hospital Antônio Prudente, na av. Aguanambi, teria sido alvejado por tiros durante a madrugada. A informação foi desmentida pela assessoria da empresa.
 
Ônibus queimados na Avenida Francisco Sá e Bom Jardim: Boato
Durante a manhã desta quinta, foram confirmados cinco ônibus incendiados nos bairros Vila Velha, Castelo Encantado, Padre Andrade, Canindezinho e Arvoredo.
 
(Foto: Reprodução Facebook)
Carta do vice-prefeito de Fortaleza
: BoatoCircula nas redes sociais uma carta com a assinatura do vice-prefeito, Moroni Torgan, que seria da Prefeitura de Fortaleza. No suposto documento, prefeitura alerta a população para que fique em casa e evite sair nas ruas a noite. A carta foi desmentida pelo perfil oficial da prefeitura no Facebook.
 

SARAH SOUSA