PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Outro Grupo de Teatro celebra seis anos com Mostra de Repertório

Histórias Compartilhadas, Comer Querer Ver e Caio e Léo cumprem temporada em três locais da Cidade

01:30 | 02/08/2017
Caio e Léo: drama de Rafael Martins traz o encontro - por acaso - de dois personagens Foto Éden Barbosa/ Divulgação
Caio e Léo: drama de Rafael Martins traz o encontro - por acaso - de dois personagens Foto Éden Barbosa/ Divulgação

Seis anos de pesquisa passados a limpo durante este mês de agosto e em três locais diferentes da Cidade. Desse modo, os atores Ari Areia e Tavares Neto pretendem celebrar mais um aniversário do Outro Grupo de Teatro, reapresentando suas três montagens através da Outro Corpo Mostra de Repertório. O grupo estreou em agosto 2011, durante o VIII Fecta. “A gente se apresentou com a cena ‘Elucubrações’, que ainda hoje temos no Comer Querer Ver”, relembra Ari.

A partir de amanhã, 3, entrarão novamente em cartaz Histórias Compartilhadas (às quintas, no Teatro Universitário), Comer Querer Ver (às sextas, no Teatro Sesc-Emiliano Queiroz) e Caio e Léo (aos sábados e domingos, no Dragão do Mar). Os ingressos têm preços populares e 10% da bilheteria de cada sessão serão reservados para que alunos da rede pública, idosos e pessoas com deficiência assistam às peças gratuitamente.

Comer Querer Ver: a instabilidade das relações humanas é o ponto de partida da comédia Foto Éden Barbosa/ Divulgação
Comer Querer Ver: a instabilidade das relações humanas é o ponto de partida da comédia Foto Éden Barbosa/ Divulgação

“É a primeira vez que fazemos algo desse tamanho. Exigiu o planejamento de um semestre para afinar tudo, mas sentimos que tínhamos maturidade pra encarar algo assim, um nível de profissionalismo que seguraria o rojão. Parece cansativo, mas é uma alegria enorme conseguir ficar em cartaz quatro dias seguidos. Era o melhor presente de aniversário que o grupo poderia ter”, celebra o ator.

Sob a direção de Eduardo Bruno, Ari Areia irá protagonizar Histórias Compartilhadas, que abre a mostra. Tendo como ponto de partida a transexualidade masculina a partir de relatos reais, a montagem de 2015 - idealizada como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em Comunicação Social/ Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará - causou alvoroço nas mídias sociais durante apresentação em seminário da própria instituição.

“O roteiro e os elementos da peça permanecem os mesmos. A polêmica em torno do uso de uma imagem do Cristo crucificado levou a gente a precisar responder uma notificação do Ministério Público Federal. Mas foi algo tão sem sustentação que o MPF recebeu nossa resposta e preferiu deixar pra lá. Mas essa história foi importante pra gente das Artes entender que existe uma onda fascistoide forte se levantando, mas que se a gente bater o pé no chão e latir mais alto, eles recuam de volta pros seus templos”, reforça.

Histórias Compartilhadas: monólogo de Ari Areia aborda o tema da transexualidade masculina Foto Sol Coêlho/ Divulgação
Histórias Compartilhadas: monólogo de Ari Areia aborda o tema da transexualidade masculina Foto Sol Coêlho/ Divulgação

A comédia Comer Querer Ver (2012), com direção de Yuri Yamamoto, fala da instabilidade das relações, enquanto Caio e Léo (2014) - texto de Rafael Martins - traz a história de dois personagens que se conhecem por acaso. Já para setembro, Tavares Neto irá estrear Nós Tr3s Ninguém, instalação cênica que parte da poética das vidas e obras do escritor Caio Fernando Abreu e do artista Leonilson. A direção será de Tomaz de Aquino.

SERVIÇO

 

Histórias Compartilhadas

Quando: às quintas, às 20h

Onde: Teatro Universitário ( Av. da Universidade, 2210 - Benfica)

Classificação: 18 anos

 

Comer Querer Ver

Quando: às sextas, às 20h

Onde: Sesc-Emiliano Queiroz (Av. Duque de Caxias, 1701 - Centro)

Classificação: 12 anos

 

Caio e Léo

Quando: sáb e dom, às 20h

Onde: Teatro Dragão do Mar

Classificação: 16 anos

Quanto: R$ 10 (inteira)

 

TERESA MONTEIRO