PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Seminário vai discutir ações

01:30 | 19/06/2017

Muitos dos questionamentos à Vila das Artes, ressalta a diretora Eliza Gunther, estão sendo analisados no I Seminário Diálogos da Cidade, surgido a partir de demandas do movimento Vila Viva e que vem promovendo encontros desde o fim de maio para discutir a escola. As proposições desses encontros preparatórios serão sistematizadas para apresentação no Seminário Municipal, etapa final do processo, que ocorre nos dias 28 e 29 deste mês no Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (Sintsef). “O resultado do seminário será encaminhado para o Conselho Municipal de Cultura para, a partir daí, terem os encaminhamentos necessários a partir das proposições”, adianta Eliza.

A classe artística, porém, segue receosa. Membro do Fórum Cearense de Audiovisual, colegiado que reúne instituições, associações e indivíduos relacionados à área no Estado, o cineasta Victor Furtado, formado na Vila, acompanhou de perto as últimas mudanças na escola e chegou a participar de reuniões entre a atual diretoria e o Fórum. “Não existe nada orçamentário específico para as escolas de Teatro e de Circo. Isso nos leva a crer que foi irresponsável essa atitude (de anunciar as novas escolas). Ano passado a Vila estava no ápice. Através de um convênio com a Petrobras, chegamos a quase R$ 2 milhões no orçamento, que agora vem sendo reduzido”, contrapõe. Para Victor, é importante que a classe artística esteja em peso no Seminário Municipal no fim do mês para acompanhar o processo. “Existe um desejo de dispersão da Vila das Artes”, opina. 

Sobre a possibilidade de ampliação do orçamento através de convênios, Eliza afirma que é uma ação em médio prazo. “Nesse momento, estamos buscando parceiros, junto à iniciativa privada e aos próprios órgãos públicos, para gerar essa possibilidade de novos recursos. Com muito otimismo, pode ser que nós consigamos algo para o segundo semestre, mas é mais provável para o ano que vem”, considera.