PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

O adeus a Rosiane Limaverde, fundadora da Fundação Casa Grande

Doutora em arqueologia e idealizadora da Fundação Casa Grande, em Nova Olinda, no Cariri, a educadora lutava contra um câncer de ovário desde 2012

01:30 | 21/03/2017
O corpo de Rosiane vai ser cremado e suas cinzas serão guardadas na fundação Casa Grande, que ajudou a criar EDIMAR SOARES EM 22/4/2014
O corpo de Rosiane vai ser cremado e suas cinzas serão guardadas na fundação Casa Grande, que ajudou a criar EDIMAR SOARES EM 22/4/2014

Faleceu na manhã de ontem, aos 51 anos, a arqueóloga Rosiane Limaverde. Rosiane morreu em sua residência, na companhia do esposo e atual secretário de Cultura de Juazeiro do Norte, Alemberg Quindins, com quem criou a Fundação Casa Grande - Memorial do Homem Kariri, em Nova Olinda, na região do Cariri, há quase 25 anos.


Desde 2012 a arqueóloga lutava contra um câncer de ovário. Ao O POVO, Alemberg disse que as cinzas da esposa ficarão guardadas da Sala do Coração de Jesus, na própria Fundação, sendo esta uma forma de homenagear a mulher. Durante o velório, músicas de autoria da própria Rosiane, vídeos e fotos foram apresentados para lembrar sua trajetória.


Doutora em arqueologia pela Universidade de Coimbra, Rosiane era um importante nome na pesquisa da área no Estado e desenvolvia na Fundação um trabalho de arqueologia socioinclusiva com crianças e adolescentes.


Na fundação, Rosiane e Alemberg criaram ainda a Escola de Comunicação, que conta com laboratórios de rádio FM, TV, internet e uma editora para a produção de materiais educativos.

&nsbp;

Segundo Júnior dos Santos, diretor administrativo do local, a morte de Rosiane representa a perda de um dos maiores símbolos da Fundação Casa Grande. “A filosofia dela era de formação contínua. A partir do momento em que se integrava toda a comunidade na pesquisa, esse era um processo de longo prazo e que vamos levar em frente”, reforça.


O governador do Ceará, Camilo Santana, lamentou a perda em seu perfil no Facebook. “Recebi com muito pesar a notícia da morte de uma pessoa muito querida e que deu relevante contribuição para a cultura e a arte do Ceará”.


Em nota, o secretário de Cultura do Estado, Fabiano dos Santos Piúba, ressaltou que o trabalho realizado por Rosiane era “responsável por uma contribuição a várias gerações de pessoas que frequentaram a Casa, tendo suas vidas transformadas pela força da cultura, da arte, da comunicação, da educação em seu sentido mais amplo e cidadão”.


O presidente do Sistema Fecomércio - CE, Luiz Gastão Bittencout, comentou também em nota que está é uma “irreparável perda para todos os que conviviam com Rosiane e a tinham como exemplo de doação e amor ao próximo”.


Comenda

De acordo com Alemberg, em 2018 a Universidade de Coimbra passará a homenagear pessoas que se destacarem na área da arqueologia com a Comenda que levará o nome de Rosiane Limaverde. A primeira será entregue em dezembro do ano que vem. “É uma homenagem a ela e aos seus estudos”, comentou.

 

LARISSA PACHECO