PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

O milagre no Brasil que santificou Jacinta e Francisco

Pela primeira vez, pais do garoto brasileiro que recebeu o milagre dos pastorinhos Francisco e Jacinta falaram publicamente sobre a experiência. Foi ontem, em Fátima (Portugal), onde foram participar da cerimônia de santificação, que acontece amanhã

01:30 | 12/05/2017

Ariadne Araújo

DE PORTUGAL, ESPECIAL PARA O POVO

ariadne.c.araujo@gmail.com

João Batista e Lucila Yurie, devotos de Fátima e pais da criança miraculada pelos videntes PATRÍCIA MOREIRA/AFP
João Batista e Lucila Yurie, devotos de Fátima e pais da criança miraculada pelos videntes PATRÍCIA MOREIRA/AFP

O menino brasileiro de nove anos, miraculado pela interseção de Jacinta e Francisco, já está no Santuário de Fátima e, anônimo, visitou as tumbas dos dois pastorinhos. Ele veio a Portugal com os pais e, amanhã, deve ter lugar de honra próximo ao altar do presbítero, de onde o papa Francisco vai presidir o rito de canonização dos dois videntes. Esse milagre, acontecido no Interior do Paraná, está na base da canonização dos dois novos santos e só ontem foi revelado ao público. Em anúncio na sala de imprensa do Santuário, os pais João Batista e Lucile Yurie contaram a história aos jornalistas, que não puderam fazer perguntas nem ver a criança, maneira de protegê-la de toda a publicidade que a divulgação do caso pode gerar.

Lucas tinha cinco anos de idade, na época. Estava em casa, em Miranda. Por volta das 20 horas, quando brincava com a irmã Eduarda, o menino caiu de uma janela. Na queda de quase sete metros de altura, bateu a cabeça, teve um grave traumatismo craniano, perdeu parte da massa cerebral. Tão grave era o caso que os médicos do pequeno município de Miranda arriscaram levá-lo, uma hora de viagem, a uma cidade maior e com mais recursos, Campo Mourão. Em coma e com a vida por um fio, o menino teve duas paradas cardíacas enquanto era preparado para uma cirurgia de emergência.

A situação era de desespero. Os médicos foram taxativos. Se escapasse com vida dessa queda, Lucas ficaria em estado vegetativo ou com pesadas sequelas e deficiências cognitivas. Os pais João Batista e Lucila Yurie, muito devotos de Fátima, fizeram a única coisa que podiam, rezar. Para aumentar a corrente de orações, telefonaram ao Carmelo de Campo Mourão, pediram às freiras que rezassem com eles. Mas a irmã que o atendeu não quis incomodar as outras na hora do silêncio e o recado não foi repassado. O menino piorando, os pais ligaram de novo ao Carmelo, insistiam no pedido.

Lúcia, Francisco e Jacinta , os pastores videntes ARQUIVO/AFP
Lúcia, Francisco e Jacinta , os pastores videntes ARQUIVO/AFP

Dessa vez, a outra irmã que atendeu sabia o que fazer. Não só avisou às companheiras de congregação como foi direto ao sacrário e, diante de relíquias dos dois pastorinhos, ela pediu para a cura de Lucas. “Salvem esse menino que é uma criança como vocês”, ela pediu. Inesperadamente, dois dias depois das rezas do Carmelo, o menino acordou do coma perguntando pela irmã e falando normalmente. Os médicos, espantados de tamanha recuperação, não tinham explicação. Pouco tempo depois já recebeu alta e voltou para casa completamente normal. “O Lucas antes do acidente é o mesmo de agora”, diz o pai. Segundo João Batista, “foi uma alegria sentir a benção da amizade destas duas crianças que ajudaram o nosso menino e agora ajudam nossa família”.

SERVIÇO

O Santuário de Fátima, que tem transmitido as missas e vigílias na Capela das Aparições, avisa, no site oficial, que vai transmitir ao vivo também a missa e a canonização amanhã, às 10 horas (6 horas no Brasil) pelo site www.fatima.pt

DORMIDA NO SANTUÁRIO

O papa dormirá num quarto na Casa Nossa Senhora do Carmo, habitualmente usada por grupos para retiro, dentro do Santuário. O quarto é simples, sem luxo, segundo pedido dele. Uma cama grande, duas mesinhas de cabeceira e uma escrivaninha com Bíblia e a imagem de Nossa Senhora de Fátima. Francisco fará uma visita à Capela das Aparições, recitará o rosário, saudará os fiéis e depois jantará o menu preparado pelas irmãs do Santuário. Segundo a revista Sábado, por questões de segurança, o piso foi reservado para Francisco e seus acompanhantes, cerca de 35 pessoas. (AA)