PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Água Innovation discute uso de tecnologias

Evento debate soluções para a segurança hídrica do Estado, redução de consumo e o aproveitamento eficiente da água. Seminário ocorre nos dias 21 e 22 de junho

01:30 | 19/06/2017

Açude Castanhão: diversificar a matriz hídrica reduziria o consumo de água do reservatório que abastece Fortaleza e Região MATEUS DANTAS
Açude Castanhão: diversificar a matriz hídrica reduziria o consumo de água do reservatório que abastece Fortaleza e Região MATEUS DANTAS

Discutir as alternativas de abastecimento, redução de consumo e soluções para a segurança hídrica do Ceará. Esses são os temas debatidos no Seminário Água Innovation, que ocorre nos dias 21 e 22 de junho, no Centro de Eventos do Ceará.

O deputado estadual Carlos Matos, presidente do Conselho Técnico Organizador do evento, destaca que o encontro vai além do debate das soluções. Ele apresenta inovações tecnológicas que podem contribuir com o uso sustentável da água. “Durante anos se trabalhou para aumentar a oferta da água no Estado, mas tão importante quanto isso é ter uma demanda racional e inteligente, para que o balanço hídrico possa permitir a segurança que precisamos”, disse.

Dentre os painéis apresentados estão a inteligência na gestão das águas, gestão de crise nas cidades, impactos da Transposição do Rio São Francisco, inovação nos recursos hídricos no ecossistema de águas e o futuro das águas do Ceará.

Para Júlio Sales, presidente do Instituto Água (IA), a diversificação da matriz hídrica do Estado pode conferir segurança no abastecimento para os próximos anos. “O Ceará precisa diversificar a matriz hídrica. A dessalinização auxiliaria no abastecimento de cidades litorâneas, enquanto a água que é enviada do Interior seria preservada”, destaca. A indústria também entraria no projeto, reduzindo o consumo e reciclando a água. “As empresas empregariam a água de reúso no resfriamento de equipamentos, irrigação de plantas de jardins, ou em descargas. Diminuiria exponencialmente o consumo”, considera.

 

Tecnologias

A adoção de tecnologias, por si só, não transformariam a realidade. “Temos de pensar na cultura hídrica. Se não houver respeito e o uso racional da água, as tecnologias utilizadas não terão efeito algum”, disse.

 

Jerson Kelman, presidente da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp), afirma que o seminário é um passo determinante para o aperfeiçoamento de mecanismos de uso e distribuição da água. “A crise hídrica que São Paulo viveu no biênio 2014-2015 foi superada graças à combinação de estratégias, como a redução da pressão na rede. Também observamos a mudança de comportamento da população, que observou a escassez do recurso e como ele deve ser usado com parcimônia”, aponta.

Organização

O evento é promovido e realizado pelo Sindicato das Indústrias da Construção (Sinduscon) e O POVO, e conta com o apoio do Ministério da Integração, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária do Ceará (Facic) e Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza (AJE).

 

Saiba mais

Programação dia 21

13h - Credenciamento

14h _às 14h30min -Solenidade de abertura

15h30min às 16h40min - Inteligência na gestão das águas

16h41 - Intervalo

17h05min - 18h30min -Gestão de crise de água nas cidades

18h30min ás 19 - A saúde da água que você bebe

ÁTILA VARELA

TAGS