PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Startups sobre saúde infantil e alimentação rumo aos EUA

Bubu Digital (PB) e Upfish (SP) são os vencedores da etapa nacional da Imagine Cup, realizada em Fortaleza

01:30 | 19/05/2017
Equipe da Universidade Federal da Paraíba é uma das duas finalistas que irão concorrer ao prêmio de 100 mil dólares nos EUA MARIANA PARENTE/ESPECIAL PARA O POVO
Equipe da Universidade Federal da Paraíba é uma das duas finalistas que irão concorrer ao prêmio de 100 mil dólares nos EUA MARIANA PARENTE/ESPECIAL PARA O POVO

Soluções de saúde infantil (Bubu Digital-PB) e agro (Upfish-SP) venceram a etapa nacional da Imagine Cup. Avaliados por uma banca de especialistas, projetos paraibano e paulista são considerados os mais inovadores e concorrem a prêmio de US$ 100 mil. Resultado foi divulgado ontem à noite em Fortaleza.

Ajudar a combater a mortalidade infantil e ampliar a oferta de alimentos para a população, foram as causas dos projetos finalistas da Imagine Cup, competição promovida pela Microsoft com o objetivo de transformar projetos acadêmicos em startups de sucesso.

Os dois primeiros colocados terão apoio do Instituto InnovAction, para transformarem suas ideias em startups, além de irem representar o Brasil na etapa global, em Seattle, com viagem custeada pela Microsoft. Na grande final global concorrerão com outros 58 times do mundo inteiro a um prêmio de US$ 100 mil, além de mentoria exclusiva com Satya Nadella, CEO da Microsoft.

“O nível dos projetos vem subindo a cada ano que passa. Ficamos muito contentes com essa tendência porque a consequência será positiva para a sociedade, uma vez que são soluções para problemas contemporâneos e urgentes”, disse o gerente de Inovação da Microsoft Brasil, Rodrigo Dias. Acrescenta que o apoio à educação e ao empreendedorismo está no DNA da multinacional. “A Imagine Cup tem um papel fundamental para fomentar ideias inovadoras e transformadoras”, completa o executivo.

Aperfeiçoamento

O apoio do Instituto InnovAction, aos vencedores da etapa brasileira, será para transformarem suas ideias em startups, através de um programa de pré-aceleração com duração de quatro meses, que dá suporte e consultoria para empresas que estão se formando. Os 15 finalistas terão ainda a possibilidade de participar do BizSpark, que dá mentoria e disponibiliza os recursos tecnológicos da Microsoft sem custo.

 

Ao todo, 199 projetos se inscreveram na etapa nacional, um número acima da média global. Para a fase final, foram selecionados grupos de diferentes regiões do País, de sete estados diferentes de norte a sul, de universidades públicas e privadas.

Este ano, o critério principal era o uso da computação em nuvem, uma tecnologia que vem sendo utilizada em larga escala por governos e empresas em todo o mundo.

Os projetos finalistas foram avaliados de acordo com critérios como inovação, caraterísticas técnicas, aplicabilidade e potencial de ganho de escala. A banca julgadora foi formada por empresários e especialistas em startups.

A Microsoft criou a Imagine Cup em 2003, uma competição estudantil, que tem o objetivo de transformar trabalhos acadêmicos em startups.

Este foi o primeiro ano que a etapa final brasileira ocorreu em Fortaleza.

 

Saiba mais

Projetos campeões

UpFish – Unicamp + UFABC (SP)

Para tentar ampliar a oferta de alimentos, o Upfish é uma solução inteligente que monitora a produção de pescado em sistemas de aquicultura, um dos meios mais eficientes de produzir proteína animal. A proposta é usar a tecnologia para ajudar o maior número de produtores.

BubuDigital – IF Paraíba (PB)

A BubuDigital é uma chupeta que monitora a saúde de bebês por meio de sensores de temperatura e umidade. O objetivo é ajudar a combater a mortalidade infantil, de índices altos no Brasil, decorrentes de doenças que poderiam ser tratadas.

 

ARTUMIRA DUTRA

TAGS