PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Onze empresas se instalarão no 1º ano do polo químico

Assinatura de Ordem de Serviço (OS) para iniciar terraplanagem para o complexo será assinada na próxima segunda-feira, 20. Ao todo serão 24 empresas no Polo que deverão gerar 2 mil empregos diretos e 7 mil indiretos

01:30 | 15/02/2017
Prefeito do Guaiúba acredita que polo químico deve movimentar R$ 3 milhões mensais no município  BRUNO MACEDO, EM 24/03/2006
Prefeito do Guaiúba acredita que polo químico deve movimentar R$ 3 milhões mensais no município BRUNO MACEDO, EM 24/03/2006

Onze empresas se instalarão no primeiro ano de obras do Guaiúba Chemical Park (Polo Industrial Químico de Guaiúba), a 27 km do bairro Mondubim de Fortaleza.

A previsão de início das construções é até o fim do ano. Na próxima segunda-feira, 20, o Governo do Estado assinará, às 9 horas, Ordem de Serviço (OS) para liberação de recursos para infraestrutura de terraplanagem, arruamento e acesso ao condomínio (R$ 4,069 milhões) e estação de energia do complexo (R$ 6,9 milhões).

Na solenidade, será assinado Memorando de Entendimentos (MoU) das 24 empresas a se instalarem no polo. “É o compromisso dessas empresas pelo menos iniciarem a instalação em até 24 meses”, afirma Nicolle Barbosa, presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado (Adece). A previsão é que as indústrias gerem dois mil empregos diretos e sete mil indiretos e invistam R$ 100 milhões no polo.

Oito empresas já tiveram aprovação de protocolo de intenções para dar entrada em diferimento de até 75% do Imposto sobre Circulação de Serviços e Mercadorias (ICMS) por meio do Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI).

Nicolle acrescenta que o Governo estuda utilizar terreno da Prefeitura de Guaiúba para fazer complexo de serviços voltado para o polo químico. “De forma a dar dinâmica econômica ao Maciço (de Baturité)”, diz.

Alexandre Mota, diretor de Inovação do Sindicato das Indústrias Químicas, Farmacêuticas e da Destilação e Refinação de Petróleo no Estado do Ceará (Sindquímica-CE), entidade à frente da ideia do Chemical Park, diz que há mobilização para que o empreendimento fomente cursos técnicos, profissionalizantes e superiores do Estado, como Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Instituto Federal do Ceará (IFCE) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). “Estamos trabalhando para montar um centro de tecnologia junto com o secretário Inácio Arruda (da Secitece) no polo”, diz.

Como as empresas a se instalarem no complexo dividirão custos de atividades, como logística, segurança, zeladoria, capacitações, gestões, Alexandre prevê uma economia de cerca de 50% nos custos dessas indústrias.

Marcelo Fradique, prefeito de Guaiúba, diz que após 40 dias da assinatura da OS a licitação para as obras deve se concretizar. Ele prevê que o polo movimente R$ 3 milhões mensais na economia do Município e incremento de até três vezes a arrecadação da Prefeitura. “O polo tem condição de expandir 100 hectares rapidamente”.

 

BEATRIZ CAVALCANTE

TAGS