PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Líder de grupo que assaltava agências dos Correios é capturado pela PF

Diego Gregório era foragido de penitenciária de Alcaçuz, no RN. Ele teria comandado seis roubos no CE

01:30 | 12/08/2017

 Diego Gregório Meireles Santos
Diego Gregório Meireles Santos

Homem apontado como líder de uma quadrilha especializada em assaltos a agências do Correios foi preso pela Polícia Federal (PF), durante a operação Alopécia, desencadeada na última terça-feira, 8, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O paulista Diego Gregório Meireles Santos, de 31 anos, era foragido da penitenciária de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, e teria comandado pelo menos seis roubos em unidades distintas dos Correios, no Ceará, entre dezembro de 2016 e março deste ano.

 

O último assalto praticado pelo grupo, formado por quatro homens, foi registrado em 6 de março na agência do Pecém, em São Gonçalo do Amarante (RMF). Na ocasião, um cliente foi baleado no tórax após perceber a ação e tentar fugir. Ele teria morrido no hospital, conforme informaram fontes da PF ao O POVO.

Após o disparo, o grupo fugiu, mas foi capturado pela Polícia Militar. Foram presos: José Glaydson Lopes de Pontes, 26, Wesley da Silva Alves, 41, e João Paulo da Silva Fernandes, 25. Todos respondiam por roubo. Foram apreendidas duas pistolas calibres ponto 40 e ponto 45 e um revólver calibre 38, além de munições.

De início, os militares não souberam da participação de Diego na ação. Entretanto, por se tratarem de crimes contra um órgão federal, as ações eram investigadas pela PF, através da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (Delepat). Durante análise de imagens do videomonitoramento de um comércio vizinho à agência, foi identificado Diego, que orientava toda a ação por telefone.

Uma falha na barba do acusado permitiu a identificação, motivo pelo qual a operação foi batizada de Alopécia, que significa a redução parcial ou total de pelos ou cabelos em determinada área de pele. Diego foi localizado no início da semana por um dos investigadores e acabou preso. Com ele foram apreendidas várias fardas das forças de segurança, como da própria Polícia Federal, um simulacro de fuzil, além de três veículos.

Em depoimento, ele confessou ter participado de parte das ações. Em uma delas, no bairro Benfica, na Capital, disse ter subtraído a quantia de R$ 113 mil. Entretanto, ele aparece em imagens das câmeras de segurança das seis ações pelas quais foi indiciado. A PF informou que ele será indiciado por homicídio, organização criminosa e roubo, sendo novamente encaminhado para o Rio Grande do Norte.

Diego fugiu de Alcaçuz pela primeira vez em janeiro de 2016, sendo recapturado sete dias depois em Canindé. Ele conseguiu fugir novamente e foi preso, em junho, na cidade de Parnamirim (RN), após assalto a banco. Já em 18 de dezembro último, escapou novamente de Alcaçuz.

THIAGO PAIVA