PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Estudantes são empossados como correspondentes do O POVO Educação

Os 102 estudantes de 39 escolas públicas e privadas participaram das diversas atividade do projeto ao longo deste ano. Os textos dos participantes serão publicados na coluna Direto da Escola, no jornal O POVO

01:30 | 21/04/2017
O lançamento da edição deste ano dos correspondentes O POVO e das ações do O POVO Educação foi ontem à tarde, no Cuca Mondubim MARIANA PARENTE/ESPECIAL PARA O POVO
O lançamento da edição deste ano dos correspondentes O POVO e das ações do O POVO Educação foi ontem à tarde, no Cuca Mondubim MARIANA PARENTE/ESPECIAL PARA O POVO
Ter a comunicação como aliada no processo de cidadania e desenvolver a capacidade de crítica e de análise a partir do contato com a atividade jornalística. Isso passou a ser possível para 102 estudantes de 39 escolas públicas e privadas de Fortaleza empossados, na tarde de ontem, como correspondentes O POVO do ano de 2017. A solenidade foi no Cuca Mondubim.

 

O projeto é desenvolvido pelo Grupo de Comunicação O POVO (GCOP), por meio do Instituto Albanisa Sarasate, e, este ano, conta com a parceria da Rede Cuca, da Prefeitura de Fortaleza.

Os adolescentes cursam o 9° ano do ensino fundamental II. Dos 102 estudantes empossados, 30 são ligados aos Cucas, sendo dez de cada uma das três sedes — nos bairros Mondubim, Barra do Ceará e Jangurussu.

Ao longo do ano, os integrantes do projeto terão textos publicados na coluna Direto da Escola, nas quartas-feiras na edição impressa do O POVO e no portal O POVO Educação, além de escrever um caderno especial e participar de programa veiculado na rádio O POVO/CBN AM 1010. A programação do projeto conta também com passeios históricos, cinema, visitas a projetos sociais e oficinas de escrita, de produção de rádio, de fanzine e de gêneros jornalísticos.

Expectativas

Aprender a escrever diferentes textos é a expectativa de Sandy Lara Ferreira, 15, do Colégio Militar de Fortaleza. “Vou pesquisar e ler muito para aprender mesmo com as pequenas coisas”, planeja. 

 

“O projeto é um convite à coragem de escrever e de expressar a  própria opinião. A comunicação perpassa todos os passos que a gente dá com eles nas atividades. Nós queremos que eles consigam se expressar, falar sobre a realidade deles e se empoderem na participação social”, ressalta Sara Rebeca Aguiar, coordenadora do projeto.

“Vai ser uma oportunidade de a gente, que é jovem, expressar o que pensa sobre o mundo. E me expressar é uma das coisas mais importantes pra mim”, reflete Pedro Artur Dantas, 14, aluno do Colégio Batista Santos Dumont.

O POVO Educação 2017

Realizado desde 2001, o O POVO Educação, a partir da parceria com a Rede Cuca, vai aumentar o diálogo social já propiciado, de acordo com Cliff Vilar, diretor do Instituto Albanisa Sarasate e do projeto. “Não somente aumentar o número de correspondentes, mas o apoio da Rede Cuca vai fazer um diálogo entre as várias regiões da Cidade”, considera.

“Muitas vezes, temos sonhos e não temos oportunidades. E este projeto vai dar uma oportunidade muito grande a esses jovens de participarem dessas vivências. Que eles possam trocar experiências e contribuir para a Cidade de forma positiva”, ressalta o secretário da Juventude de Fortaleza, Júlio Brizzi.

ANA RUTE RAMIRES