PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Padrão fora da curva

17:00 | 15/07/2017

 

Tânia Alves

Nos dois últimos domingos (2/7 e 9/7), O POVO deixou de publicar na edição impressa entregue aos assinantes o resultado dos jogos do Campeonato Brasileiro de Futebol das Séries B e C. Por isso, os leitores desta plataforma ficaram sem informação sobre o resultado do jogo Paraná 1 x 0 Ceará, dia 1º de julho; e das partidas Ceará 2 x 0 Figueirense e Moto Clube 1 x 0 Fortaleza, ambas realizadas no dia 8 passado.

O fato tem deixado leitores insatisfeitos. No primeiro fim de semana, um deles enviou a seguinte mensagem: “Nada sobre o jogo Ceará x Paraná no jornal de hoje (2/7), nenhum resultado. Nada. Nenhuma linha”. No domingo passado, outro se manifestou: “Sou assinante do O POVO e quero reclamar que o mesmo não noticiou (em página escrita), sobre a vitória do Ceará, tabela das séries B e C, e nem sobre a derrota do oponente. Será que foi por isto (derrota do Fortaleza)?”. Mais um usuário deixou comentário no Facebook sobre a falta de resultados na postagem que apresentava a capa do jornal (ver fac-símile da primeira página). “Faltou na manchete Ceará vence 2 x 0 fora de casa”, disse.

A reclamação dos leitores se justifica. Há anos, os resultados dos jogos de sábado que envolvem Ceará ou Fortaleza são publicados em um Segundo Clichê para assinantes, que é feito em forma de sobrecapa. Isso ficou definido porque a edição de domingo (O POVO.dom) fecha mais cedo, por volta das 13 horas, para ir às bancas na tarde do mesmo dia. No Segundo Clichê, também são editados assuntos de outras áreas que acontecem após as 13 horas. O assinante já se acostumou. É ruim quando regras são mudadas sem que uma das partes tenha prévio conhecimento. Por outro lado, como o futebol envolve paixão, o leitor pode confundir, equivocadamente, que a falta do resultado do jogo de seu time de coração é torcida por esta ou aquela equipe.

Na sexta-feira passada, enviei um pedido de explicação para a Redação, sobre a falta do resultado. O editor-chefe do Núcleo de Esportes, Fernando Graziani esclareceu: “A decisão de ter ou não o 2º Clichê é tomada com bastante antecedência por toda a logística envolvida, e não em cima da hora. Já no online, a cobertura foi feita com Tempo Real em todos os jogos, relatos das partidas, repercussões e análises nos blogs”. Por sua vez, a editora-executiva da Redação, Ana Naddaf, explicou: “A decisão de ter 2º clichê está baseada em critérios editoriais e logísticos, com certa antecedência. Houve uma avaliação para esses dias citados e a resolução foi de não ter 2º clichê, independente dos resultados dos jogos - o que comprova a imparcialidade de nossa parte”.

É evidente que os portais de notícias, pela própria natureza da plataforma, são capazes de divulgar o resultado dos jogos de futebol rapidamente. Fazem a transmissão passo a passo de cada momento da partida. Porém, o leitor que gosta de futebol pode querer acompanhar o jogo, ler os blogs logo após o resultado, assistir aos gols nos programas esportivos da TV e verificar o resultado no impresso. Além disso, se no O POVO já foi pactuado com o leitor que o 2º Clichê traz os resultados dos jogos dos times cearenses, não é justo que, de um dia para o outro, deixe de oferecer esta informação. Como assinantes, eles tinham o direito de saber o resultado na plataforma impressa.

FORA DA CURVA II

A cobertura da aprovação da reforma trabalhista feita pelo O POVO na edição de quarta-feira passada (12/7) recebeu críticas de leitor que assim se manifestou: “Entro em contato para fazer um questionamento. Com a aprovação da Reforma Trabalhista no Senado, ontem (11/7), eu esperei conteúdo no caderno de Economia. Tudo bem que, na Política, havia o essencial. Eu abro o caderno de Economia e chega a ser bizarro, como se nada tivesse acontecido. Valeria um desmembramento, não? Me corrija se eu estiver equivocado. A Reforma Trabalhista afeta, claro, os trabalhadores. Ouvi-los é fundamental - o que seria possível, caso a Economia se propusesse a desmembrar a pauta”.

A crítica é acertada. Enxergar os diversos ângulos da notícia é mais que uma necessidade; é obrigação do fazer jornalismo. A editoria Política olhou, naquele dia, para como a reforma foi aprovada. Nas duas páginas de cobertura, havia o contraponto político - dos representantes dos partidos contra e a favor da reforma e ainda o que mudará. Mas, nas matérias, faltou uma parte importante: os trabalhadores. Junto a eles poderiam ter sido ouvidos os empregadores e até mesmo os juízes do trabalho, que terão papel redefinido com a reforma. Ouvir muitas vozes é padrão do O POVO. Quando isso não ocorre, o leitor estranha e sente que está fora da curva.

PARA ACIONAR A OMBUDSMAN

Os leitores das diversas plataformas do O POVO podem entrar em contato com a ouvidoria pelo WhatsApp (85) 988 93 98 07; por email (ombudsman@opovo.com.br) e telefone fixo (3255 6181). O leitor pode ainda visitar a ombudsman, se necessário. Basta ligar e agendar.