REVISTA O POVO NORTE 03/05/2016 - 13h40

Torresmo irresistível

Tradicional ponto de encontro dos boêmios, o Bar do Demerval ganhou fama pelo torresmo sequinho e crocante. O petisco é vendido somente aos sábados e a procura é grande
notícia 0 comentários
Foto: Wellington Macedo

Pergunte a um sobralense onde se come o melhor torresmo da região e, certamente, a resposta será o Bar do Demerval. O petisco, famoso por ser crocante e sequinho, é servido somente aos sábados e pela manhã. É bom não chegar tarde porque o risco de já ter sido vendido tudo é grande. “A gente fica aberto o sábado todo, mas o torresmo acaba logo”, adverte Demerval Coutinho de Aguiar, 78 anos, proprietário do bar.


O boteco é simples como o dono. As cadeiras e mesas de plástico ficam na calçada e o torresmo é assado do lado de fora, em um tacho. O petisco é vendido a R$ 30 o quilo (só aceita dinheiro), pesado em uma daquelas balanças antigas. A ideia de preparar a iguaria foi de um dos quatro filhos de seu Demerval, “há 16, 18 anos atrás”. “Ele tinha vontade de arrumar um meio de aumentar o ordenado”, relembra.


O segredo do sucesso

Desde o início, a procura foi grande, garante o dono do bar. Sobre o segredo do sucesso, ele revela pouco. “É saber comprar o toucinho e saber dar o ponto. Tirar na hora certa e não deixar queimar, ter o cuidado para não assar demais nem de menos”, resume. A banha de porco é comprada no Mercado Central de Sobral ou em um frigorífico no município vizinho de Massapê, cidade natal de seu Demerval. “Tem que reparar na grossura do toucinho. Tem que ser ‘finim’, não pode ser grosso. E olhar se está novo, se não está há muito tempo (exposto)”, ensina.

Durante a semana, seu Demerval e o filho cortam e preparam o toucinho. No sábado, vem um conterrâneo de Massapê para fritar os cerca de 40 a 50 quilos de torresmo. Na hora de assar, “coloca um pouquinho de gordura de porco pra não pregar”. O tacho fica na calçada porque o bar não tem cozinha nem espaço suficiente, explica. “A primeira panelada sai por volta de 10h20, 10h30”. A maioria dos clientes compra o petisco para acompanhar cerveja gelada, a bebida mais pedida aos sábados.


O local é frequentado por políticos e empresários. A fama rendeu matérias em blogs e muitos clientes fazem questão de postar fotos do bar no Facebook. O tira-gosto é calórico, mas ninguém resiste. Nem o próprio Demerval, que, após passar por uma cirurgia, possui restrições alimentares. “O médico me proibiu, mas como pouco e é só no sábado.”


História e tradição
O Bar do Demerval, na esquina das ruas Padre Fialho e Coronel Mont’alverne, no Centro de Sobral, completou 50 anos de funcionamento no dia 16 de abril deste ano. No início, o local era uma mercearia, mas com o surgimento dos mercantis e supermercados seu Demerval transformou o espaço em um boteco. Foi com o dinheiro do bar que sustentou a família e formou os quatro filhos, motivo de orgulho por ele próprio nunca ter frequentado escola. “O que ganhei foi tudo pra casa e pros estudos deles”, comenta. Antes de se mudar para Sobral, trabalhava na roça no Distrito de Padre Linhares, em Massapê.

O estabelecimento preserva ambiente de bar do interior. Nas prateleiras, ficam expostas bebidas, banhas de porco em garrafas PET e itens de mercearia como cigarro, café, goma de tapioca e óleo de cozinha. Tem ainda uma TV de 14 polegadas antiga e imagens de santo. Em uma das paredes, há quadros com fotos de políticos (colocadas por eles mesmos, segundo seu Demerval) e uma plaquinha com a frase “Aqui nóis bebe, intorta e não cai”, que a mulher de um cliente trouxe de uma viagem.


Na semana, o bar funciona durante o dia todo, fechando somente no horário da sesta, das 14 hpras às 17 horas. O boteco hoje é mais do que o ganha-pão. É onde seu Demerval encontra os amigos, se sente bem, joga conversa fora. E de noite é ainda melhor. “Tem um ventim bom na esquina.”


Saiba mais
- O torresmo é feito da fritura do toucinho, uma camada de couro, carne e gordura extraída da barriga do porco. É o excesso de gordura que deixa o petisco saboroso.
- Geralmente, é servido acompanhado de um aperitivo. Também é utilizado na feijoada e no feijão tropeiro. É muito associado à comida mineira.
- No Brasil, o torresmo é uma contribuição da culinária portuguesa, com alguns retoques dos temperos trazidos pelos escravos da África.
- Antigamente, era somente uma maneira de se obter a banha de porco, gordura utilizada na culinária. Foi durante o período colonial no Brasil que os escravos passaram a consumi-lo diretamente.
- Uma porção de 100 gramas de torresmo tem cerca de 540 calorias. É preciso moderação no consumo.

Serviço
Bar do Demerval
Onde: esquina das ruas Padre Fialho e Coronel Mont’alverne, no Centro de Sobral, ao lado do Teatro São João
Quando: o torresmo só é vendido aos sábados, a partir das 10h20
Telefone: (88) 3611 2991

Confira a revista O POVO Norte

 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:

Vídeos

BDSM: Prazer Fora da Caixa - Parte 2 play

BDSM: Prazer Fora da Caixa - Parte 2

anterior

próxima