Mobile RSS

rss
Assine Já
Ranking 24/01/2012 - 12h08

Entre 30 países com maior carga tributária do mundo, Brasil dá menor retorno à população

Brasil apresenta piores resultados pelo segundo ano consecutivo
Compartilhar

Estudo realizado com os 30 países do mundo com maior carga tributária mundo mostra que o Brasil apresenta o pior desempenho em retorno de serviços públicos à população. A arrecadação de impostos no País atingiu a marca de R$ 1,5 trilhão em 2011 e ultrapassou o patamar de 35,13% em relação ao PIB. Os números são do documento “Estudo sobre Carga Tributária/PIB X IDH”, realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Entre os 30 países, a Austrália apresenta o melhor desempenho em termos de retorno à população dos impostos pagos.

O ranking foi feito com base no Índice de Retorno de Bem Estar à Sociedade (Irbes), criado pelo instituto como resultado de cálculo que leva em conta a carga tributária segundo a tabela da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) de 2010 e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), conforme dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com a previsão do índice final para 2011. Quanto maior o valor do IRBES, melhor é o retorno da arrecadação dos tributos para a população.

Confira o ranking:

1º) Austrália
- Carga tributária sobre o PIB: 25,9%
- IDH: 0,929
- Irbes:    164,18

2º) Estados Unidos
- Carga tributária sobre o PIB: 24,80%
- IDH:     0,910
- Irbes: 163,83

3º) Coréia do Sul
- Carga tributária sobre o PIB: 25,1%
- IDH:     0,897
- Irbes: 162,38

4º) Japão
- Carga tributária sobre o PIB: 26,9%
- IDH:     0,901
- Irbes: 160,65

5º) Irlanda
- Carga tributária sobre o PIB: 28%
- IDH:     0,908
- Irbes:    159,98

6º) Suíça
- Carga tributária sobre o PIB: 29,8%
- IDH:     0,903
- - Irbes: 157,49

7º) Canadá
- Carga tributária sobre o PIB: 31%
- IDH:     0,908
- Irbes: 156,53

8º) Nova Zelândia
- Carga tributária sobre o PIB: 31,3%
- IDH:     0,908
- Irbes: 156,19

9º) Grécia
- Carga tributária sobre o PIB: 30%
- IDH:     0,861
- Irbes: 153,69

10º) Eslováquia
- Carga tributária sobre o PIB: 28,4%
- IDH:     0,834
- Irbes: 153,23

11º) Israel
- Carga tributária sobre o PIB: 32,4%
- IDH:     0,888
- Irbes: 153,22

12º) Espanha
- Carga tributária sobre o PIB: 31,70%
- IDH: 0,878
- Irbes: 153,18

13º) Uruguai
- Carga tributária sobre o PIB: 27,18%
- IDH:     0,783
- Irbes: 150,30

14º) Alemanha
- Carga tributária sobre o PIB: 36,7%
- IDH:     0,905
- Irbes: 149,72

15º) Islândia
- Carga tributária sobre o PIB: 36,3%
- IDH:     0,898
- Irbes: 149,59

16º) Argentina
- Carga tributária sobre o PIB: 29%
- IDH:     0,797
- Irbes: 149,40

17º) República Tcheca
- Carga tributária sobre o PIB: 34,9%
- IDH:     0,865
- Irbes: 148,39

18º) Reino Unido
- Carga tributária sobre o PIB: 36%
- IDH:     0,863
- Irbes: 146,96

19º) Eslovênia
- Carga tributária sobre o PIB: 37,7%
- IDH:     0,884
- Irbes: 146,79

20º) Luxemburgo
- Carga tributária sobre o PIB: 36,7%
- IDH:     0,867
- Irbes: 146,49

21º) Noruega
- Carga tributária sobre o PIB: 42,8%
- IDH:     0,943
- Irbes: 145,94

22º) Áustria
- Carga tributária sobre o PIB: 42%
- IDH:     0,885
- Irbes: 141,93

23º) Finlândia
- Carga tributária sobre o PIB: 42,1%
- IDH:     0,882
- Irbes: 141,56

24º) Suécia
- Carga tributária sobre o PIB: 44,08%
- IDH:     0,904
- Irbes: 141,15

25º) Dinamarca
- Carga tributária sobre o PIB: 44,06%
- IDH:     0,895
- Irbes: 140,41

26º) França
- Carga tributária sobre o PIB: 43,15%
- IDH:     0,884
- Irbes: 140,52

27º) Hungria

- Carga tributária sobre o PIB: 38,25%
- IDH:     0,816
- Irbes: 140,37

28º) Bélgica
- Carga tributária sobre o PIB: 43,8%
- IDH: 0,886
- Irbes: 139,94

29º) Itália
- Carga tributária sobre o PIB: 43%
- IDH: 0,874
- Irbes: 139,84

30º) Brasil
- Carga tributária sobre o PIB: 35,13%
- IDH: 0,718
- Irbes: 135,83

Compartilhar
espaço do leitor
Paulo Mahrs 20/12/2013 11:00
Nobre amigo! Tentarei explicar de forma de simples. Em primeiro lugar os custos em saúde, educação, segurança e infraestrutura são em valor absoluto de dinheiro por habitante, e não em porcentagem do PIB de cada país sem considerar distribuição de renda, poder de compra e arrecadação per capita.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Paulo Mahrs 20/12/2013 11:00
Só para ilustrar o custo de saúde no Reino Unido (350 bi para 63 milhões de habitantes) da 5555,55 por pessoa, a este custo, no Brasil para 200 milhões se gastaria mais de 1,11 Trilhões,(só para saúde) só que toda a arrecadação federal em 2012 foi de 1,03 Trilhões, faltou 80 Bilhões e só para saúde
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Paulo Mahrs 20/12/2013 10:40
Só 5 a 7% da população paga carga Tributária e alíquotas de IR nas taxas mais altas, o resto restitui quase ou tudo em deduções de IRPF e a maioria mais compra produtos de cesta básica que pouco ou zero tributo federal tem. Irbes é tão ilusório quanto querer que R$ 300 aqui compre o mesmo que US$900
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Caio Vaz 15/12/2013 15:19
O retorno que se fala na matéria eh claro que eh proporcional a renda do pais. Caso contrario não adiantaria comparar países tao diferentes, o que se verifica no estudo eh que apesar desta alta carga tributaria, a população não sente as melhorias que poderiam ser feitas com estes recursos.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Caio Vaz 15/12/2013 15:15
E ao comprar o paozinho. Tanto o rico quanto o pobre pagam 10,00 o KG. Agora este valor no orcamento do rico eh irrisorio mas no do pobre faz um rombo. Mesmo que se retirem 30% do salario de uma pessoa que ganha 10.000,00. Ela ainda terá uma renda 10 maior que o salario minimo, para comprar alimento
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Ver mais comentários
34
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Facebook

São utilidades para enriquecer seu site ou blog por meio de códigos (Tags ou Scripts) que ajudam sua página a ser ainda mais informativa

Escolha o Widget do seu interesse

Newsletter

Receba as notícias do Canal Política

Powered by Feedburner/Google

Mais comentadas

anterior

próxima

Mobile RSS

rss Assine Já