Mobile RSS

rss
Assine Já
LIVRO. EU ME CHAMO ANTÔNIO 14/01/2014

Poemas, boemia e guardanapos

Livro reúne os "guardanapos poéticos" de Antônio e narra, entre versos e desenhos, uma aventura amorosa
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 18815, 'email': 'paulorenatoabreu@opovo.com.br', 'nome': 'Paulo Renato Abreu'}
Paulo Renato Abreu paulorenatoabreu@opovo.com.br
DIVULGAÇÃO
Alguns dos "guardanapos poéticos": entre a palavra e a imagem
Compartilhar


Antônio nasceu no balcão do Café Lamas, bar tradicional no Rio de Janeiro. “Depois de um longo dia de trabalho, eu decidi parar para tomar um chope e, enquanto esperava meu pedido, fiquei desenhando e escrevendo em um guardanapo”, conta Pedro Gabriel, lembrando outubro de 2012 quando a ideia surgiu.


Satisfeito com o resultado, Pedro fotografou e divulgou a arte criada. “Na semana seguinte, abri uma página na internet para ter um registro de todas as minhas criações até então”. Para assinar esses guardanapos poéticos, Pedro criou Antônio, um personagem boêmio e apaixonado. Intitulada Eu Me Chamo Antônio, a página logo viralizou no mundo online ganhando tumblr, instagram e blog.


“Primeiro, encanto./Depois, desencanto./Por fim, cada um pro seu canto”. São esses os dizeres do primeiro guardanapo poético divulgado por Pedro Gabriel. “Quando criei a página, nunca imaginei que ela fosse ganhar toda essa dimensão. Acredito que o visual atraente e o conteúdo que fala de sentimentos comuns de uma forma diferente tenham ajudado a fortalecer essa identificação”.


Sensível e verossímil, Antônio é um personagem que desperta nos leitores dúvida sobre a linha tênue que separa a realidade da ficção. “Ele é uma espécie de alter ego. Acredito que o Antônio seja a forma que encontrei para canalizar todos os meus sentimentos. Foi através dele e dos guardanapos que acabei criando coragem para expressar as palavras e os desenhos que não conseguia verbalizar de outra forma”.


Nascido na capital da República do Chade, na região centro-norte da África, Pedro Antônio Gabriel Anhorn chegou ao Brasil com 12 anos de idade. Filho de mãe brasileira e pai suíço, foi alfabetizado em francês e até os 13 anos não “formulava uma frase correta em português”. A partir da dificuldade na adaptação ao idioma, que lhe exigiu muita observação tanto dos sons quanto da grafia, Pedro diz ter desenvolvido encantamento ao brincar com as palavras.


Antônio impresso

Aos 29 anos, Pedro é formado em publicidade e propaganda e agora lança seu primeiro livro, uma narrativa sobre um amor vivido por Antônio. Em 192 páginas, Eu me chamo Antônio transita por todas as fases de um relacionamento amoroso: com um discurso simples, mas nem sempre óbvio, o leitor acompanha os encontros e desencontros do personagem. “O grande desafio foi levar aos leitores uma nova forma de se encantar pelos guardanapos”, conta Pedro.

 

Segundo o autor, a publicação traduz para o universo offline o que é apresentado diariamente no mundo online de Antônio. “O livro traz duas formas de leitura. Você pode abrir o livro em uma página aleatória e ler como se fosse um poema do dia ou você pode ler os guardanapos de forma sequencial e enxergar um romance desenhado, no qual Antônio narra aventuras boêmias e amorosas”.


Na obra, os desenhos, fotos e tipografias se integram ao texto. De acordo com Cristiane Costa, pesquisadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ, Eu Me chamo Antônio faz parte de nova tendência literária chamada “visualwriting”. “Para as novas gerações está claro que o caminho da inovação literária passa pelo rompimento dessa barreira entre texto e visual”, afirma Cristiane. “Gosto da literatura levada na leveza. Da poesia que não quer ser poesia. Da poesia que quer dizer, que quer comunicar. Nesse sentido, quando vi o trabalho, me maravilhei”, reforça o escritor Marcelino Freire.

 

SERVIÇO

 

Eu Me chamo Antônio

Autor: Pedro Gabriel

Editora: Intrínseca (192 páginas)

Quanto: R$ 29,90 (impresso) e R$ 19,90 (E-Book)

 

Multimídia

Confira um bate-pronto com Pedro Gabriel

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Mais comentadas

anterior

próxima