Mobile RSS

rss
Assine Já
Gestão 26/05/2012

O desafio da sustentabilidade

Mudanças na gestão de pessoas podem contribuir para a sustentabilidade do planeta. É o que aponta pesquisa recente realizada na Universidade de São Paulo
Compartilhar

As políticas na gestão de pessoas em uma organização podem interferir no comportamento dos funcionários para uma questão que interesse aos objetivos das empresas. Uma pesquisa realizada na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP), intitulada Integração entre gestão de pessoas e estratégia de sustentabilidade: evidências em organizações contemporâneas, estudou a gestão de pessoas de cinco empresas situadas no Brasil e verificou que, de forma não homogênea, todas criaram medidas para incluir o conceito da sustentabilidade em suas políticas e práticas de recursos humanos (RH).

 

As organizações foram escolhidas por serem reconhecidas em diversas edições do Guia Exame de Sustentabilidade como empresas que se preocupam com essa questão. Porém, cada uma delas demonstrou interpretar o conceito de sustentabilidade de forma diferente.


Por exemplo, uma pode considerá-la apenas no processo produtivo e economizar água e outros recursos na produção. Já outra entende a sustentabilidade como uma filosofia de vida que deve ser levada para todas as práticas do dia a dia de seus funcionários.


Dessa maneira, as políticas na gestão de pessoas de cada empresa são diferentes, podendo a sustentabilidade se integrar de maneira mais sistemática, vindo desde o recrutamento de gente comprometida com esse assunto, passando pelo treinamento e até por uma remuneração variável com ganhos relacionados com a questão.


Outras organizações podem criar políticas de conscientização durante o trabalho apenas, de forma menos sistemática.


Segundo a realizadora da pesquisa, a administradora Fernanda Mendes Pires, não existe uma receita para integrar a sustentabilidade na gestão de pessoas. Sua pesquisa cita referências de políticas que podem ser tomadas sobre esse aspecto, adotadas nas empresas estudadas, mas que dependem do rumo que a organização deseja tomar.


“Sustentabilidade provoca uma transformação organizacional e a gestão de pessoas tem o papel de estimular essas mudanças”, ressalta a pesquisadora. Ela foi orientada no estudo pelo professor André Luiz Fischer.

 

Desenvolvimento sustentável

A discussão sobre desenvolvimento sustentável vem crescendo ao longo das últimas décadas, e as organizações têm um papel importante nessa questão. São elas que produzem os bens de consumo, e podem ou não integrar a sustentabilidade em todo o seu funcionamento.

 

Os líderes das organizações, segundo Fernanda, têm grande importância na integração do desenvolvimento sustentável em todas as áreas, inclusive na de pessoas.


O estudo, que é a dissertação de mestrado da administradora, verificou, em primeiro lugar, que havia pouco material sobre esse assunto na mídia e na literatura acadêmica. Então, Fernanda fez diversas entrevistas com trabalhadores em vários cargos das cinco organizações.


Conversou com diretores e outros funcionários relacionados com a gestão de pessoas e sustentabilidade dessas empresas. Assim, pôde obter uma visão geral de cada empresa, o papel de RH na estratégia, bem como suas políticas e práticas de recursos humanos.


O estudo, porém, não procurou analisar se o comportamento das pessoas de fato mudou com as transformações na gestão. Tomando-se por base apenas a pesquisa, é possível afirmar que as mudanças na gestão de pessoas podem contribuir com a orientação de comportamento que visa, nessas organizações, a sustentabilidade (da Agência USP).

 

O quê

ENTENDA A NOTÍCIA


Em sua dissertação de mestrado, a administradora Fernanda Mendes Pires estudou como a gestão de pessoas de cinco empresas situadas no Brasil tratava da questão da sustentabilidade com seus funcionários.

Compartilhar
espaço do leitor
jose airton de oliveira junior 26/05/2012 11:05
O próprio Governo não prioriza a sustentabilidade,os principais cargos que direcionam as ações do governo, são ditos políticos,não necessariamente ocupados por pessoas dotadas de competência. Como esperar boa gestão partindo desse princípio?
Este comentário é inapropriado?Denuncie
1
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Mais comentadas

anterior

próxima