Mobile RSS

rss
Assine Já
Em Brasília 29/05/2012

Cachoeira, Mensalão, Veja, blindagem e a versão de Lula

Em nota, ex-presidente diz estar "indignado" com a revista, que sustenta tentativa de negociação entre o adiamento do julgamento do mensalão, pelo STF, e a proteção a um dos membros do Supremo, Gilmar Mendes
JOSÉ CRUZ/ABR
Petista diz que nunca interferiu nos assuntos do Judiciário
Compartilhar


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou estar indignado com a reportagem da revista Veja na qual o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) afirma ter ouvido do petista pedido de adiamento do julgamento do mensalão. “Meu sentimento é de indignação”, afirmou o ex-presidente em nota.


Segundo a revista, Mendes relatou que, em encontro em abril, Lula propôs blindar qualquer investigação sobre ele na CPI que investiga as relações de Carlinhos Cachoeira com políticos e empresários. Em troca, o ministro apoiaria o adiamento do julgamento.


De acordo com a nota de Lula, a versão da revista sobre o teor da conversa é inverídica. O ex-presidente afirma que nunca interferiu em decisões do Supremo e da Procuradoria-Geral da República nos oito anos em que foi presidente.


“O procurador Antonio Fernando de Souza apresentou a denúncia do chamado mensalão ao STF e depois disso foi reconduzido ao cargo. Eu indiquei oito ministros do Supremo e nenhum deles pode registrar qualquer pressão ou injunção minha em favor de quem quer que seja”, afirmou Lula.


A reunião ocorreu no escritório de Nelson Jobim, ex-ministro do governo Lula e ex-ministro do Supremo. Lula disse a Mendes, segundo a Veja, que é “inconveniente” julgar o processo agora e chegou a fazer referências a uma viagem a Berlim em que o ministro se encontrou com o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), hoje investigado na CPI.


Jobim confirmou o encontro em seu escritório, mas negou o teor. Já o ministro Marco Aurélio Mello afirmou à reportagem que nunca deveria ter ocorrido o encontro entre os dois. “Está tudo errado. É o tipo de acontecimento que não se coaduna com a liturgia do STF, nem de um ex-presidente da República ou de um ex-presidente do tribunal, caso o Nelson Jobim tenha de fato participado disso”, disse.


A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou nota cobrando explicações do ex-presidente da República. “A ser confirmado o teor das conversas mantidas com um ministro titular do Supremo, configura-se de extrema gravidade”, diz a nota. (das agências de notícias)

 

E agora


ENTENDA A NOTÍCIA


Um dos maiores líderes políticos da história do Brasil, o ex-presidente Lula fica diante do desafio de provar que não existiu o conteúdo da conversa. O mesmo valendo para a revista, que diz ter acontecido.

 

Compartilhar
espaço do leitor
João Dias 01/06/2012 13:40
O LULA e o PT e seus acéfalos tem raiva da VEJA porque ela descobre e publica as falcatruas deles. O motivo de tanta raiva deles para com a VEJA é só esse. Até agora tudo o que ela publicou aconteceu. Veja o caso do Mensalão, dos Ministros nomeados por LULA, Cachoeira, etc.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Marcos Alves 01/06/2012 01:56
Da nojo so em ouvir falar nesses politicos envolvidos em falcatruas e enganando o povo q o elegeram.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Marcos Alves 01/06/2012 00:22
O QUE ACHO, EH QUE ESSA POLITICA DO BRASIL EH PODRE. SO TEM ESPERTALHOES NO PODER. RARISMO UM POLITICO SERIO E HONESTO.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
sidney carvalho 31/05/2012 22:03
por que o senhor lula nao vai pesca e deixa o pais em paz ja fez o dele meu pega o banquinho e sai de fininho para de encher o saco se toca vaza vai pesca bem longe se liga mano
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Vitor Hugo 30/05/2012 09:01
quem merece mais credibilidade ? O ex ministro do STF ou um político ?
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Ver mais comentários
21
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor: