FINANCIAMENTO. PARCELAS 17/09/2016

Quando é melhor antecipar as parecelas do seu imóvel

notícia 0 comentários
FÁBIO LIMA
Como os juros do financiamento do imóveis são mais baixos, nem sempre vale a pena antecipar

O artigo 52, parágrafo 2º do Código de Defesa do Consumidor (CDC) diz que o comprador pode antecipar total ou parcialmente uma dívida mediante a redução proporcional dos juros embutidos. Isto quer dizer, segundo o diretor executivo de Estudos da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel Ribeiro de Oliveira, que tanto faz ele antecipar uma parcela como dez ou liquidar todas as parcelas, a instituição financeira terá que retirar todos os juros embutidos no financiamento.

 

“Caso o financiamento tenha sido feito com taxas de juros superiores ao que ele consegue ter de retorno em uma aplicação financeira é preferível retirar o dinheiro e liquidar as parcelas que forem possíveis, pois aqui assim estará encurtando o prazo do financiamento e economizando nos juros”, completa Miguel Ribeiro. Acrescenta que uma exceção seriam os financiamentos com juros mais baixos como, por exemplo, os de baixa renda do programa Minha Casa, Minha Vida ou financiamento com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). “Nesse caso, o consumidor teria um retorno maior se estes recursos estiverem aplicados no mercado financeiro, mas isto é exceção”, avalia.


Sobre as vantagens de antecipar parcelas do financiamento imobiliário, o economista Gilberto Barbosa diz que se houver sobra no orçamento adiantar algumas prestações é interessante para pagar menos juros. “Mas como o financiamento imobiliário geralmente tem juros mais baixos do que outras modalidades de crédito, não necessariamente é melhor antecipar os valores”, pondera.


Considerando que esse tipo de financiamento tem juros em torno de 12% ao ano (a.a.) diz que se estiver sobrando dinheiro no orçamento e a pessoa tiver disciplina para poupança é possível encontrar aplicações com rendimento superior a 12%. “Assim, seria melhor juntar o dinheiro e fazer uma aplicação a 13% a.a., por exemplo, ao invés de antecipar o imóvel”, observa.


Mas o economista e outros especialistas como o planejador financeiro Rodnei Junior, defende antecipar parcelas ou amortizar o saldo devedor para reduzir as parcelas futuras. “Pode ser uma forma de aliviar o orçamento dos próximos meses”, afirma Gilberto Barbosa.


Os especialistas dizem que a amortização extraordinária no saldo devedor em geral está prevista em cláusula específica no contrato do financiamento e pode ser realizada quantas vezes o devedor desejar, desde que tenha disponibilidade financeira. O consumidor pode amortizar para redução da prestação ou do prazo do financiamento. Pode e deve usar o dinheiro do FGTS mais de uma vez que tem rendimento inferior à inflação e até à poupança. Além da vantagem de


deixar de pagar os juros e encargos que incidiriam sobre a quantia amortizada, destacam a possibilidade de escolher o melhor caminho para o planejamento financeiro. (Artumira Dutra)

 

ESTRATÉGIA


Antecipar as próximas ou as últimas?

O economista e professor de Economia da Universidade de Fortaleza (Unifor), Allisson Martins, considera que na antecipação de parcelas do financiamento imobiliário, a principal vantagem é amortizar o saldo da dívida de maneira mais rápida, e assim amenizar o efeito dos juros compostos na dívida total.

 

Explica que se a instituição financeira apresentar duas opções de antecipação: pagamento das parcelas seguintes; ou pagamento das últimas parcelas da dívida, o cliente deve optar pelas últimas. “Pois nos sistemas de amortização mais utilizados pelos bancos, que são a tabela Price e o Sistema de Amortização Constante (SAC), com essa alternativa se paga menos juros, bem como o valor do principal da dívida é reduzido de forma mais interessante para o cliente”, avalia.


Allisson Martins diz que na hora de antecipar as parcelas, recomenda-se verificar a taxa de juros do financiamento imobiliário e a rentabilidade da aplicação financeira onde se encontra o dinheiro. “Sob a ótica estritamente financeira, se a taxa de juros do financiamento for menor que a aplicação financeira, não é recomendável a antecipação”, afirma. Adianta que, entretanto se os juros do financiamento forem maiores que o do rendimento da aplicação financeira, deve-se imediatamente fazer a antecipação das parcelas do financiamento imobiliário.

 

Fique atento!

 

COMPONENTES do encargo mensal do financiamento de imóveis


JUROS SOBRE o saldo devedor


VALOR da amortização


CUSTO administrativo


SEGURO


QUANTO MAIS cedo a pessoa liquidar o financiamento, menos custo administrativo e seguro irá pagar

undefined

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis