CONDOMÍNIO. DICAS 06/08/2016

Como enxugar gastos no condomínio

notícia 0 comentários
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 19078, 'email': 'elvesrabelo@opovo.com.br', 'nome': 'Elves Rabelo'}
Elves Rabelo elvesrabelo@opovo.com.br
EVILÁZIO BEZERRA
Mariel Furfuro Godoy, síndica profissional, frisa a importância de engajar os moradores nas ações de cortes de gastos

Enxugar gastos. Necessidade de muitas famílias em época de recessão econômica, ela também é uma boa pedida para os condomínios. Neste caso, o síndico é o responsável por segurar o leme e guiar o barco. Mas ele não pode fazer tudo sozinho. A participação dos moradores é fundamental.

 

Uma das primeiras ações a serem tomadas é a individualização dos registros d’água. “Com isso, os moradores gastam menos porque pagam o que de fato consomem. Infelizmente, o método mais eficaz para a colaboração dos condôminos ainda é quando afeta o bolso”, relata Nilson Soares, síndico profissional da Soma7.


Na mão de obra, equacionar a quantidade de funcionários de acordo com o tamanho do condomínio é o mais indicado. Além disso, os contratos dos serviços de jardinagem e elevadores devem ser revistos a fim de adequá-los às reais necessidades do prédio. E foram os elevadores o principal alvo de Anchieta Dourado, engenheiro civil e subsíndico do prédio onde mora. No condomínio dele, há três equipamentos: um de serviço e dois sociais. Como os sociais vêm quando estão mais próximos do andar solicitante, e o de serviço desce ou sobe de onde estiver, a estratégia foi “usar o de serviço durante o dia, das 8 às 18 horas, e os sociais à noite, a partir das 18”, revela Anchieta.


O subsíndico conta que todas as lâmpadas foram substituídas por LED, que consomem menos energia, e sensores de presença foram instalados ao longo dos corredores, para acenderem apenas quando alguém passar. A economia alcançada foi de 30%, na média anual.


Além disso, dois poços profundos foram feitos no prédio, para alternar entre água própria e a da Cagece. “Acordamos com os moradores para que uma empresa visitasse todos os apartamentos para detectar possíveis vazamentos. Se algum fosse encontrado, o morador arcava com os gastos dos reparos”, diz o subsíndico, que implantou também o reúso da água para regar o jardim, “aguando pela manhã cedo ou no final da tarde, para evitar a evaporação rápida”, conta.


Por conta da mudança de hábitos, Anchieta revela que neste ano não foi preciso aumentar a taxa condominial, já que os gastos do prédio foram reduzidos significativamente. A avaliação dele é positiva e a conclusão é de que “a gente não precisa esperar a situação ficar crítica para se movimentar. Inovações sempre são bem-vindas, de qualquer um”.

 

SAIBA MAIS!


AÇÕES PARA ECONOMIZAR


BUROCRÁTICO
Revisão de todos os contratos de serviços vigentes

Realização de cotações com fornecedores

Reaproveitamento da mão de obra

Regulagem de horas extras por funcionários

 

ENERGIA

Substituição das lâmpadas por LED

Instalação de sensores de presença nos corredores

Revezamento no funcionamento dos elevadores


ÁGUA

Reaproveitamento da água para regar jardins

Instalação de poços profundos, quando possível

Individualização de hidrômetros

Verificar se não há vazamentos


OUTROS

Substituição de vigilância humana pela eletrônica

Realizar manutenções preventivas nas áreas comuns do condomínio

undefined

> TAGS: condomínio
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis