MANUTENÇÃO 04/06/2016

Imóvel também precisa de revisão

notícia 0 comentários


Um imóvel é aquisição que pode durar pelo resto da vida do comprador. Mas isso exige que haja cuidados para que problemas sejam resolvidos o quanto antes, de modo a não deixá-los virar complicações maiores.


A Colmeia percebeu nisso uma forma de se diferenciar. A empresa faz manutenção preventiva. A ideia veio do setor automobilístico. Otacílio Valente, presidente da empresa, conta que, no período de garantia (cinco anos), são feitas revisões periódicas para identificar e resolver problemas que possam surgir.


No entanto, diferente do que acontece no setor de automóveis, a Colmeia não cobra pelo serviço. Segundo Otacílio, a construtora estuda a ideia de continuar fazendo as revisões mesmo depois dos cinco anos da garantia, nesse caso, já cobrando.


São feitas, no total, seis inspeções em cada empreendimento, uma após os primeiros seis meses da entrega e as outras a cada ano, por cinco anos. Otacílio estima que é destinado cerca de 1% do valor total do imóvel à prestação desse serviço e que os custos já vêm embutidos no valor da venda.


Walmir Esmeraldo, engenheiro da Colmeia, que trabalha nesse modelo de revisões, conta que a iniciativa partiu da percepção de que o cliente não costuma fazer sua parte para preservar o imóvel. Na maioria dos casos, segundo ele, o morador não se preocupa em ler o manual do proprietário, que vem junto do imóvel quando é adquirido.


Assim, acabam surgindo problemas que poderiam não existir com um pouco de cuidado, como os provenientes de falta de higienização. “Passamos a perceber a necessidade de antecipar e fazer essa revisão, ir até o cliente em vez de esperar que ele nos chamasse”, explica Walmir.


O manual, segundo explica José Carlos Gama, vice-presidente da área imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), funciona como na indústria automobilística, indicando os cuidados necessários e as especificidades do imóvel. Ele conta que muitas vezes isso é deixado de lado e, como consequência, há desvalorização precoce.


Otacílio menciona que a Colmeia é a primeira – e por enquanto única – empresa no Brasil a ter essa iniciativa. No entanto, segundo Alexandre Mourão, diretor técnico da C. Rolim Engenharia, a ideia desse modelo já está sendo replicada por outras construtoras. Ele sublinha que a iniciativa reflete uma necessidade existente na construção civil de ser proativo, não só por parte da construtora, mas também por moradores e síndicos.

(Anderson Cid, especial para O POVO. Colaborou Beatriz Cavalcante)

undefined

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis