CONDOMÍNIO 21/05/2016

Viver em meio à natureza

notícia 0 comentários
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 19078, 'email': 'elvesrabelo@opovo.com.br', 'nome': 'Elves Rabelo'}
Elves Rabelo elvesrabelo@opovo.com.br
MATEUS DANTAS/ESPECIAL PARA O POVO
Lúcia Souza mora em condomínio com grande área verde e pratica exercícios ao ar livre


Qualidade de vida, bem-estar e segurança, esses são alguns dos benefícios de se viver em um condomínio que conta com uma área verde. A comerciante Lúcia Souza mora há seis anos em um condomínio com área verde na cidade de Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza. Ela conta esse foi um fatores que a fizeram escolher o empreendimento para morar.


Dentre as vantagens, ela destaca a possibilidade de realizar atividades físicas ao ar livre. “É muito bom morar aqui, posso correr, caminhar, praticar exercícios físicos com tranquilidade e, o melhor, com segurança. Temos árvores, lago e quadra para esportes”, afirma Lúcia.


Além dos benefícios à saúde, a comerciante diz que tem muito orgulho de morar num condomínio que conta com investimentos em meio ambiente. “Posso trazer familiares, amigos e colegas para aproveitarem o ambiente que é muito acolhedor. Dá orgulho de viver aqui”, diz.


De acordo com o presidente do Instituto Pró-Síndico Dostoiévski Vieira, empreendimentos com projetos voltados à natureza são uma tendência, “as pessoas estão ligadas à questão do verde”, diz. Contudo, essas áreas têm que estar integradas aos espaços de convivência dos condomínios, como churrasqueira, pista de corrida, pomar, horta etc.


Em Fortaleza, empresas como Terra Brasilis, MRV, Dias de Souza e Luciano Cavalcante têm apostado na sustentabilidade como diferencial.


“A C. Rolim acredita que o contato com a natureza é importante para a construção do ser humano como um todo e, por isso, todos os nossos lançamentos contam com projetos elaborados com áreas verde integradas às áreas de convivência”, afirma Ticiana Rolim, diretora comercial e de marketing da C. Rolim Engenharia.


De acordo com ela, os espaços verdes nos condomínios são pensados quatro anos antes da entrega. “Todas as árvores que compõem as áreas são plantadas em nossas fazendas na serra quatro anos antes, para que, no momento da entrega, elas já estejam em um tamanho ideal”, diz.


Um dos principais objetivos da C. Rolim, segundo Ticiana, é ampliar a área verde da capital cearense, seja com projetos nos empreendimentos, seja na preservação de áreas públicas da cidade.


A Terra Brasilis também aposta no trabalho em harmonia com a natureza. “Respeitamos as leis ambientais e adaptamos os projetos de forma que os nossos empreendimentos não agridam a natureza em seus diferentes aspectos. Mantemos milhares de árvores nativas e lá é possível encontrar árvores frutíferas como manga, jambo, acerola, caju, seriguela etc.”, afirma Eduardo Pinheiro Ponte - diretor de novos negócios da Terra Brasilis.


A empresa criou o Prêmio Natureza Viva, com o objetivo de desafiar os moradores a preservarem as áreas naturais dentro de lotes comprados em um dos empreendimentos lançados. A meta é construir uma casa sem se desfazer de uma árvore. Após 10 anos, tempo considerado suficiente para a construção das residências, os projetos serão julgados por uma comissão de arquitetos e os mais criativos serão premiados com viagens para parques ecológicos. O prêmio será entregue ainda este ano.


Prédio verde


O LC Corporate Green Tower, da Luciano Cavalcante, é o primeiro empreendimento comercial verde de Fortaleza e do Norte e Nordeste que foi desenvolvido seguindo conceitos de sustentabilidade. Nas áreas verdes, o projeto conta com diversas espécies vegetais regionais que, já adaptadas ao clima da região, podem sobreviver ao regime de chuva oferecida pelo clima local. Assim, além de nutrir as plantas com água coletada da chuva, um sistema automatizado de irrigação por gotejamento e o uso de água de condensação, podem significar uma economia de até 50% no consumo de água potável.


“Além disso, os terraços dos andares que estão na área comum do edifício possuem espaços verdes e tem ainda um lugar para a prática de caminhadas. Nesses telhados-parque, a vegetação não é apenas estética, mas também combate o efeito ‘ilha de calor’, reduzindo a temperatura ambiente em torno do edifício”, conta Leonardo Cavalcante, arquiteto e diretor técnico da Luciano Cavalcante Imóveis.

 

CUIDADOS NA IMPLEMENTAÇÃO DE ÁREAS VERDES


É preciso contratar empresas especializadas, que contam com agrônomos, paisagistas e demais profissionais ligadas à área.

 

Jardins, por exemplo, podem acabar por falta de manutenção adequada;

Cuidado com a escolha das plantas que comporão o jardim. Há espécies que precisam de impermeabilização, por isso um maior cuidado;


Outras plantas podem acumular água e se tornar proliferadoras da dengue. Outras podem soltar folhas e aumentar os custos com limpeza


Atenção ao solo. Não adianta ter um projeto ambiental com solo ruim.

undefined

> TAGS: 0
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis