CONDOMÍNIO. GESTÃO 19/12/2015

Vantagens de terceirizar a gestão do condomínio

notícia 0 comentários
{'grupo': '', 'id_autor': 19040, 'email': ' andresongurgel@opovo.com.br', 'nome': 'Anderson Cid'}
Anderson Cid andresongurgel@opovo.com.br
CAMILA DE ALMEIDA
Raquel Bonatti, síndica profissional, diz que o serviço de uma administradora representa ótimo custo-benefício

A administração de um condomínio é tarefa essencial para o bom funcionamento dos espaços e a garantia de que o valor pago na taxa mensal pelos condôminos seja aplicado de modo apropriado. Além disso, a pessoa responsável deve se preocupar também com gerenciar os funcionários, acertar questões jurídicas e providenciar manutenções.

 

Com todos esses detalhes, um morador que não tem experiência profissional nesse ramo pode encontrar dificuldades ao tentar resolver essas questões. Assim, muitos condomínios preferem optar por terceirizar esse serviço.


Lílian Alves é vice-presidente de condomínios do Sindicato da Habitação do Ceará (Secovi-CE) e presidente de uma empresa de administração de condomínios, a Singular. Ela conta que uma das maiores vantagens de contratar esse tipo de empresa é a profissionalização do serviço: “nesse caso, existem pessoas capacitadas para fazer a gestão, são focadas em condomínio, o que não costuma ser o caso dos síndicos que não são profissionais”.


Quando se tem uma empresa especializada cuidando da administração, o síndico não precisa mais se preocupar com questões burocráticas, como lidar com as finanças e problemas de ordem jurídica e realizar cobranças. Ele pode, então, passar a focar em procedimentos mais próximos ao dia-a-dia do condomínio, como checagens e manutenções.


Rafael Mota, sócio-diretor do Grupo Gestart, que atua em administração condominial em Fortaleza, conta que isso pode ser uma vantagem inclusive na hora de tratar com os moradores. Isso se percebe principalmente em situações delicadas, como cobrança de inadimplentes: “isso causa grande desgaste pessoal entre síndico e condômino, porque às vezes o vizinho leva pro lado pessoal”, explica. Com uma empresa de intermédio, o trato fica menos pessoalizado.


Raquel Rodrigues Bonatti, síndica profissional, contratou uma empresa administradora este ano para ajudá-la com o condomínio que gerencia. A empresa acompanha as atividades desde o recebimento do condomínio, em agosto, e Raquel diz que está satisfeita: “eles estão me ajudando com tudo que você imaginar”.


Ela conta que a opção pelo contratação de uma administradora foi devido ao custo-benefício: segundo seus cálculos, caso tivesse optado por administrar por conta própria, haveria economia de algo em torno de R$ 1.500 ou R$ 2.000, “mas não compensa a dor de cabeça”, pondera.


Apesar de no caso de Raquel a dispensa da empresa administradora significar economia, em alguns casos pode acontecer o contrário. Rafael conta que em situações como na hora de lidar com bancos para autentificar boletos, a taxa pode ser bem menor quando a negociação é feita por uma empresa especializada. “Com certeza, quando se procura uma boa administradora, ela se paga”.


GESTÃO RUIM


Os problemas mais comuns

Antes de a administradora ser contratada pelo condomínio, é comum que haja problemas típicos de quem não tem a prática profissional da área. Rafael Mota conta que os mais comuns são inadimplência, descumprimento de exigências legais e complicações financeiras.

 

Sobre as pendências legais, ele menciona como exemplo a Lei de Inspeção Predial, que fixa normas para a inspeção preventiva em edificações em Fortaleza. A previsão é de que a lei passe a funcionar de modo punitivo a partir de janeiro de 2016, mas alguns condomínios nem ao menos sabem disso, correndo risco de serem apenados sem necessidade.


Lílian Alves, do Secovi-CE, elenca também que é comum encontrar condomínios com dívidas relacionadas ao pagamento do INSS e FGTS. Além disso, o próprio trato com o funcionário às vezes é um problema que deve ser resolvido com uma administração profissional: ela conta que, em alguns casos, observa-se negligência por parte dos funcionários, com postura permissiva do condomínio.


OUTRA AJUDA


Síndicos profissionais

Apesar de facilitar a vida dos condôminos, as empresas de administração de condomínios não cuidam de todo o trabalho: enquanto elas se responsabilizam por questões burocráticas, dos campos financeiro e jurídico, o síndico precisa atentar para problemas de ordem operacional, como limpeza e manutenção.

 

Em alguns casos, porém, as duas funções podem ser terceirizadas de uma só vez: Mariel Fúrfuro, síndica profissional, conta que muitas vezes os condomínios contratam ao mesmo tempo uma empresa administradora e um síndico profissional.


Segundo ela, a contratação desse tipo de profissional é uma tendência maior em São Paulo e tem sido gradativamente adotada em Fortaleza. Mariel conta que a empresa em que trabalha, o SindPro, atua no ramo há oito anos, mas há cerca de quatro ou cinco anos o serviço começou a se popularizar na cidade.


“O que eu vejo hoje é que as pessoas não têm mais tempo para cuidar do condomínio, trabalham de dia e quando chegam em casa ainda tem que cuidar dessa administração”, ela explica.

 

"Com certeza, quando se procura uma boa administradora, ela se paga"

undefined

> TAGS: condomínio
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis