ALUGUEL. COMPARTILHAMENTO 05/09/2015

Dicas para compartilhar o aluguel

notícia 0 comentários
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 18944, 'email': 'lucianacastro@opovo.com.br', 'nome': 'Luciana Castro'}
Luciana Castro lucianacastro@opovo.com.br
CAMILA DE ALMEIDA
Madson Sales, estudante de medicina, divide o aluguel com outros três estudantes
Compartilhar


Sair da casa dos pais, encarar uma nova cidade para estudar ou trabalhar são motivos comuns que implicam principalmente em uma nova moradia. Com a mudança de endereço vêm as responsabilidades, entre elas as despesas. Uma opção para tornar as coisas mais fáceis é encontrar pessoas dispostas a compartilhá-las.

Madson Sales, 25, mudou-se de Itapajé (a 142 km da Capital) para Fortaleza aos 13 anos com o objetivo de focar nos estudos. Em 2011 quando ingressou na faculdade de medicina resolveu sair da casa dos parentes.


A primeira experiência foi dividir um apartamento de dois quartos com outros três colegas. Para ele conciliar os horários de estudos e de dormir eram as maiores dificuldades. “Dividir o quarto com quem tem hábitos diferentes do seus é muito difícil”, lembra.


O passo seguinte foi alugar, com a ajuda dos pais, um apartamento maior e mais próximo a faculdade. De acordo com Madson a prioridade foi a localização e a estrutura oferecida pelo bairro.


“Eu pagava mais de mil reais sozinho, então resolvi dividir o apartamento com outros colegas, mas com a condição de uma pessoa por quarto. Também priorizei estudantes de medicina, por conta do perfil, a gente tem a rotina meio parecida”, diz.


Atualmente moram com Madson, outro estudante de medicina, uma estudantes de nutrição e outra de ciências contábeis. Além da despesa de aluguel e condomínio, eles compartilham os custos de internet e energia. Com um diferencial, uma das estudantes instalou ar condicionado no quarto que ocupa, portanto, eles entraram em um acordo e ela contribui com uma quantia maior na conta de energia.


“A gente procura sempre resolver as coisas com diálogo. Como sou o responsável pelo imóvel, fico mediando a convivência e controlo para que as contas estejam em dias”, explica Madson.


Ele afirma que uma forma encontrada para evitar desgastes foi pedir que a pessoa fizesse a primeira contribuição no dia em que passa a fazer parte do grupo e depois disso, essa data passa a ser o dia de vencimento da cota.


O apartamento não tem regras estabelecidas, prevalece o bom senso. “A única coisa que a gente tem combinado fixo é a limpeza das áreas comuns, a cada final de semana, uma pessoa é a responsável. Nos quartos fica a critério de cada um”, conta.


No período de férias, em que a maioria dos moradores viaja a contribuição permanece a mesma. “As contas continuam chegando, então, tem que pagar”, justifica.


SAIBA MAIS


ATENÇÃO NA HORA DE ESCOLHER O LUGAR


OPTE por proximidade do trabalho ou estudo, isso evita maiores gastos de tempo e dinheiro com descolamento


OBSERVE se a região do imóvel tem boa oferta de comércio e serviços


Conheça o perfil dos que já moram no imóvel. Veja se a rotina deles é compatível com a sua


ANTES decidir, saiba quais são e quanto custam as despesas fixas compartilhadas pelos moradores


VARIE a titularidade dos boletos de despesas comuns, assim todos terão uma noção real da responsabilidades das finanças do grupo


ACOMPANHE a evolução mensal do consumo de serviços fixos, como energia, água e gás, para identificar possíveis desperdícios

undefined

> TAGS: alguel
Compartilhar

Veja também

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis