MERCADO 29/08/2015

Onde as negociações engancham

notícia 0 comentários
Compartilhar


Otacílio conta que para erguer um edifício atrás do Palácio da Abolição, ficou quase um ano em negociação. “A casa do meio tinha um espólio de 20 anos. Nós mesmos resolvemos o inventário do imóvel para concluir a compra total do terreno”, revela.


Normalmente na hora que o incorporador se interessa por uma casa, pelo terreno, é feita uma proposta para a casa da esquina. “Nem sempre é uma casa necessária para a concepção da nova construção, mas é possível expandir em área total construída do prédio, aumentando um gramado, por exemplo”, conta Sérgio.


O negócio para o dono da “casa da esquina” algumas vezes é uma oportunidade única, diz Sérgio. “Onde hoje é o Hotel Luzeiros, tem um restaurante bem ao lado. Na época da construção tentamos comprar para o José Hugo Machado, mas o dono do restaurante não vendeu de jeito nenhum. Foram comprados os terrenos do hotel e estacionamento, mas ficou um restaurante. O valor desse imóvel hoje é bem menor do que era na época. Porque não pode se construir um prédio em grande proporção”, conta.

undefined

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis