TECNOLOGIA. SEGURANÇA 01/07/2015

Tecnologias para segurança dos imóveis

notícia 0 comentários
{'grupo': 'Colunista', 'id_autor': 16351, 'email': 'paulalima@opovo.com.br', 'nome': 'Paula Lima'}
Paula Lima paulalima@opovo.com.br
CAMILA DE ALMEIDA
Central de monitoramento da Servnac
Compartilhar

DIVULGAÇÃO
Francisco Moraes, da Servnac: tecnologia é aliada do trabalho humano

O maior custo na segurança de condomínios é com a mão de obra. Neste cenário surgem alguns acessórios, de alta tecnologia, que ajudam a manter a segurança de lares e empresas. “Os componentes eletrônicos (câmeras de alta resolução, sensores de presença, alarmes, cercas eletrônicas) estão cada vez mais sofisticados e dão suporte eficiente na segurança. Devemos ressaltar que a presença do homem sempre será necessária. Um não funcionará bem sem o outro. Os dois se complementam para que tenhamos um bom resultado na execução dos trabalhos”, analisa Francisco Moraes, diretor da Servnac.

 

A mais recente tecnologia em segurança é a guarita virtual. Uma câmera ligada a uma base de monitoramento é acionada quando o interfone toca. Um porteiro nesta base tem cadastrado os telefones do proprietário e do síndico do condomínio, ao ver quem chega, ele liga para o proprietário que libera ou não a entrada do visitante. Em caso de entrega de mercadoria, o síndico também pode liberar a entrega ao servente. Segundo Leonardo Leal, diretor da Ceará Segurança, o sistema está sendo lançado em Fortaleza, mas em São Paulo já é bem aceito. Principalmente em poucos apartamentos.


Eugênio Ribeiro, gerente da Servnac, faz a matemática da economia que é instalar a Portaria Virtual. “O custo do porteiro é cerca de R$ 10 mil mensais. Já com o sistema, eu apareço na câmera, me identifico e ligo pro proprietário, ele libera ou não. Esse serviço gera a redução de pelo menos 30% ao mês nas despesas”.


A Servis Segurança fala ainda em Ronda Virtual. O proprietário baixa um aplicativo no celular e, ao se aproximar de casa, aperta um botão do app, que aciona a central de monitoramento, ela checa as imagens das câmeras de circuito interno e externo e assegura a chegada. “É muito usada em propriedades que têm problemas de acesso. Mais comum em casas residenciais”, explica Eugênio.


A tecnologia de câmeras inteligentes também garante a tranquilidade. Utilizada em áreas de pouca circulação, alguns equipamentos são capazes de identificar movimentos suspeitos, conta Leonardo Leal. Tecnologias recentes percebem alteração de padrão.


Instalar câmeras, as chamadas CFTV (câmeras fechadas de TV) é um dos investimentos essenciais para começar a implantar medidas de segurança. “Além da altura de muro, qualidade de portões e a parte dos alarmes”, avisa Leonardo Leal.


Outra estratégia são as eclusas para pessoas e, mais recentemente, para carros. A entrada no condomínio é feita através de dois portões. O primeiro abre e a pessoa fica em uma espécie de gaiola, onde é identificada pelo vigilante, só tendo acesso ao condomínio depois. Nessa mesma linha de medida de segurança há também as senhas de elevadores.


As tecnologias cabem em diferentes bolsos e servem para cada região específica da cidade. Mas ainda há lacunas. “Acreditamos que um dos pontos que ainda precisamos avançar quanto à segurança é justamente na postura dos condôminos. Muitas vezes há um entendimento errôneo de que ao contratar serviços de segurança estará tudo resolvido pela empresa prestadora dos serviços. Ocorre que isso é e sempre será uma parceria. Não se pode, em hipótese nenhuma ser uma ‘entrega de problema”, diz Moraes.

 

Dentro de casa

Algumas pessoas também precisam monitorar o que acontece dentro de suas residências ou estabelecimentos comerciais. Uma das alternativas para essas necessidades é o serviço remoto. O ambiente é monitorado por câmeras internas, e a central envia regularmente, em intervalo de tempo previamente definido, informações sobre o funcionamento do local. “Funciona bem em pets shops, quando o dono quer ver seu animal, creches para ver as crianças e até laboratórios”, informa Eugênio Ribeiro. Segundo ele, é possível acessar as câmeras de onde estiver, basta ter acesso à Internet. 

 

 

Frase
 

Ainda precisamos avançar sobre a postura dos condôminos. Muitas vezes há um entendimento errôneo de que, ao contratar serviços de segurança, estará tudo resolvido

 

SERVIÇOS


PORTEIRO VIRTUAL um interfone com câmera substitui o vigilante


CÂMERAS INTELIGENTES

Usadas principalmente em ambientes de pouco movimento para alertar sobre presença estranha


MONITORAMENTO VIRTUAL

Pela Internet é possível acompanhar as imagens capturas por câmeras de circuito fechado

 

RONDA VIRTUAL

Um aplicativo é acionado para a central de monitoramento checar as imagens das câmeras externas e garantir a chegada com tranquilidade em casa

 

ECLUSAS

Dois portões servem de acesso aos condomínios. O visitante ou o carro é identificado por um vigilante ao passar pelo primeiro portão, então o segundo é aberto

 

SENHAS DE ELEVADOR

Cada morador registra uma senha particular de acesso ao seu andar. Ele passa diretamente essa senha para o visitante que tiver acesso liberado 

undefined

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis