PERSPECTIVAS. UNIDADES NOVAS 24/06/2015

Setor diz que preço dos imóveis nao vai cair

notícia 1 comentários
{'grupo': 'Da Reda\xe7\xe3o O POVO', 'id_autor': 16390, 'email': 'artumira@opovo.com.br', 'nome': 'Artumira Dutra '}
Artumira Dutra artumira@opovo.com.br
SARA MAIA
Custos da construção são crescentes e impedem baixa nos preços


O consumidor que estiver esperando pela queda no preço dos imóveis para fazer o investimento, talvez espere demais e perca boas oportunidades. O setor afirma que a queda dos preços dos imóveis novos não é uma tendência no Ceará.


“Até 2014, os preços dos imóveis em Fortaleza eram defasados em relação a outras capitais do Nordeste, por isso o preço subiu acima da inflação. Para 2015 a expectativa é que os preços continuem subindo, só que agora acompanhando a inflação”, afirma José Carlos Gama, vice-presidente da área imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE).


De acordo com Gama, outro fator que faz com que os preços se mantenham é o pouco estoque de unidade. “Nosso estoque hoje deve durar uns dois anos. Estamos com uma boa velocidade de vendas, entre 4% e 4,5% ao mês (a cada 100 unidades prontas, são vendidos 4 imóveis por mês), é um volume seguro no estoque”.


Crédito

O crédito mais caro e os juros mais altos não tem interferido nos preços dos imóveis, já que essa é uma condição de compra para o consumidor final, afirma o vice-presidente. A circunstância estaria impactando na escolha do tipo de imóvel. “Com a mesma renda ela não compra a mesma unidade que compraria ano passado, mas compra outra”, diz.

 

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis no Ceará (Creci- CE), Apollo Scherer, afirma que o cliente está mais cauteloso e seletivo. “Hoje o cliente está querendo a melhor localização, o melhor preço, as melhores condições de pagamento e o melhor atendimento”.


O presidente do Creci-CE salienta a parada na alta de preços se deu também se deu em função da redução dos lançamentos, que representam em torno de 20% do mercado. Observa que, no ano passado, 1.800 projetos deram entrada na Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma). Neste ano, foram em torno de 400.


O presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Locação de Imóveis (Secovi-CE), Sérgio Porto, analisa que os preços dos imóveis em geral devem se manter, acompanhando apenas a inflação. “É muito difícil que o preço do imóvel novo caia”, comenta, observando que aqui e ali pode ter uma promoção, um benefício agregado como o pagamento dos impostos. (colaborou Luciana Castro, especial para O POVO)


FIQUE ATENTO!


CUSTOS. Quando se fala em tendência de preço dos imóveis no Ceará, o primeiro argumento do setor imobiliário é que os custos não param de subir. Nos últimos 12 meses, o Índice Nacional de Custos da Construção Civil (INCC-DI) está em 5,74%. Em Fortaleza, onde o custo de vida é mais baixo que a média nacional, a inflação costuma exercer maior pressão. Inclusive no setor imobiliário.


ESTOQUE. O setor imobiliário diz que o estoque de imóveis é pequeno no Ceará, não havendo necessidade de baixar preço. O número de lançamentos também deve cair, porque os projetos do ano passado entram em fase de construção. Segundo o Secovi, no ano passado 1.800 projetos deram entrada na Seuma. Neste ano, foram 400.


FINANCIAMENTO. O crédito mais restrito não impede a compra de um imóvel, mas influencia na tipologia da unidade que o cliente irá comprar. O setor percebe esse movimento e se adapta.

 

undefined

> TAGS: imóveis preço
espaço do leitor
Zezin 24/11/2015 11:38
Acho muito pouco provável que a média nos preços dos imóveis em Fortaleza não acompanhe a tendência NACIONAL de queda nos preços, seja de locação ou venda. Entrevistaram as pessoas mais interessadas em, ou elevar mais ainda os preços ou em manter os preços no patamar atual.
1
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis