ALUGUEL. RENOVAÇÃO DE CONTRATO 10/06/2015

Com retração do mercado, a vez é dos locatários

notícia 0 comentários
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 19023, 'email': 'carolkossling@opovo.com.br', 'nome': 'Carol Kossling'}
Carol Kossling carolkossling@opovo.com.br
EVILÁZIO BEZERRA
REDUÇÃO. Valdecira Silva loca imóveis e reduziu, para a renovação, o aumento do valor estipulado dos contratos
Compartilhar

Com a proximidade do vencimento do contrato de aluguel, é hora de decidir se ficará ou não no imóvel. Caso opte por ficar, consulte o contrato e analise quais os reajustes previstos. Se estiver em uma situação econômica desfavorável, é possível negociar os valores. Confira as dicas dos especialistas ouvidos pelo O POVO.

 

Para Apolo Scherer, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci-CE), é fundamental e indispensável, para iniciar uma renegociação de contrato, ter bom histórico nos pagamentos e também de manutenção do imóvel.


Outra sugestão é sinalizar ao proprietário que num outro momento, mais favorável economicamente, estará aberto a voltar a pagar o valor estipulado na negociação inicial. Além de ser franco e honesto com relação aos interesses sobre a unidade. “Não é aconselhável buscar subterfúgios para desvalorizá-lo”, alerta.


Também é importante municiar-se de informações dos valores praticados no mercado. Pode ser por meio de pesquisas, como, por exemplo, em jornais. Mostrar a conta de quanto o proprietário poderá perder se ficar com a unidade fechada em relação à redução solicitada, pode ser oportuno, orienta Paulo Angelim, sócio-diretor da Viva Imóveis. Além de estar preparado para a pior resolução, que é ter de devolver o imóvel.


Normalmente, os reajustes dos aluguéis são baseados no Índice Geral de Preço do Mercado (IGP-M) que está na faixa de 4,1% ou pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo (IPCA) em torno de 8,17%. “Acredito que essa baixa do mercado de imóveis não se sustente por mais um ano”, analisa.


Comércio

Rodrigo Costa, presidente da Comissão de Direito Imobiliário da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB-CE), analisa que a taxa de desocupação dos imóveis na Cidade vem crescendo entre 20% e 30%, principalmente nos pontos comerciais.

 

Para esse segmento, ele considera que estão havendo grandes negociações. “Ainda tem gente com a filosofia de querer aumentar 50% na renovação, mas não tem condições. O mercado não suporta mais esse tipo de renegociação”.


Já no residencial, dize, a história é outra. Não estão havendo muitas negociações e o inquilino acaba saindo e procurando um imóvel de menor valor dentro das suas possibilidades atuais. “O mercado ainda não parou, pois está acontecendo essa tendência de migração”, explica Rodrigo. Mas ele acredita que isso mude logo, pois o mercado alterna a cada seis meses.


NEGOCIAÇÕES

 

Com retração do mercado, a vez é dos locatários

Com mais de doze imóveis, entre comerciais e residenciais espalhados pelo Montese, Passaré e Esplanada Castelão, a empresária Valdecira Silva, 49 anos, sentiu que as mudanças econômicas afetaram seus negócios. Dos imóveis que estão alugados, o que está com contrato mais próximo do vencimento é um residencial que vence em agosto. Como o inquilino ainda não a procurou, é sinal que vai renovar. “De qualquer forma decidi reduzir 50% o aumento estipulado pelo contrato na renovação”.

 

Para um dos pontos comerciais que ela tem disponível, baixou de R$ 850 para R$ 600 o aluguel. No residencial, de R$590 para R$ 550. A intenção é acelerar o processo de locação para não ficar com imóveis desocupados e ficar sem receber os recursos.


No bairro da Precabura, no Eusébio, o comerciante David Jonathas está analisando a renovação do ponto comercial que ocupa há quase um ano e vence em julho. “Caso a proprietária queira aumentar, não tenho condições de ficar”. O contrato estipula reajuste, a cada renovação, com aplicação pelo maior índice oficial em vigor pelo IGP-M. (Carol Kossling)

 

DICAS

 

Na hora de renegociar

 

1, Esteja com os pagamentos em dia 


2. Tenha um bom histórico de pagamento e manutenção do imóvel


3. Pesquise valores praticados no mercado

 

4. Procure o locador com no mínimo 60 dias do vencimento do contrato


5. Não desvalorize o imóvel que ocupa


6. Mostre ao locador o quando ele pode perder se ficar com imóvel fechado

 

7. Sinalize que num momento melhor podem voltar a negociar o valor inicial

 

8.Não blefe

 

9. Esteja pronto para ter que deixar o imóvel

undefined

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis