VALORIZAÇÃO. REFORMA 04/02/2015

Um tapa certo no visual

notícia 0 comentários
RODRIGO CARVALHO
Compartilhar


Ao fazer uma reforma no apartamento é preciso ficar atento ao tipo de mudança que pode desvalorizar ou valorizar o seu imóvel. Para não ter o perigo de errar, O POVO consultou especialistas do mercado imobiliário.


A primeira dica é não personalizar muito o apartamento se ele for para ser vendido algum dia. Um erro muito comum que muitos fazem: transformar duas suítes em uma só. “Se ele for vender o apartamento vai ser difícil, pois vai ficar uma área de metro quadrado enorme que poderia ser aproveitada para outros espaços enquanto os outros apartamentos do mesmo prédio possuem ainda as duas suítes separadas”, explica Fátima Nogueira, sócio-proprietária do escritório Nogueira Arquitetura.


O coordenador de vendas da César Rêgo Imóveis, Bertrand Girão, explica que a personalização do apartamento nunca é boa porque o imóvel sai do padrão de mercado. “A construtora, quando planeja o apartamento, faz uma consulta de mercado e constrói da maneira que mais atende àquela região”, diz.


E a desvalorização não se dá exatamente no preço, mas na liquidez. Geralmente uma unidade demora até 90 dias para ser comercializada e imóveis personalizados ou com modificações impróprias para o mercado da região chegam a ultrapassar esse tempo de venda, avalia Bertrand.


Outra intervenção que desvaloriza o imóvel é quando se retira algum dos banheiros. “Para revenda, o número de suítes interfere na valorização da unidade. Na reforma tem que manter os banheiros, inclusive o de serviço. O que pode ser feita é a mudança do porcelanato desse ambiente”, enfatiza Tatiana Ghigonetto, sócio-proprietária do escritório de arquitetura TGA Brasil.


Ela acrescenta que a área de serviço também deve ser mantida “por mais que você não use”, ou, caso seja modificada, que seja de uma maneira que dê para retornar ao que era.


Permitido

Existem algumas alterações que valorizam o imóvel, como a troca do piso. Porém, se o preço for muito acima do praticado na região não adianta gastar muito dinheiro com reformas exorbitantes porque a venda será prejudicada, segundo explica o coordenador de vendas César Rêgo.

 

Mas fazer mudanças como uma cozinha gourmet, ampliar a varanda, integrando-a à sala, ou fechando-a com vidro para climatizá-la valoriza o imóvel e são as dicas de Fátima. “Essa é a tendência que acompanha o comportamento das pessoas”, acrescenta.


O que também é comum é retirar o quarto da empregada. Mas se a área for mantida e apenas transformada em um gabinete, ou um outro espaço, Tatiana diz que não há problema. Para a arquiteta, o uso da parede dry wall, que pode ser removida facilmente, é uma solução para que modificações no apartamento, como as que agregam uma suíte a outra, possam ser revertidas. (Beatriz Cavalcante)


DICIONÁRIO


PAREDE DRY WALL. Sistema industrializado de paredes internas, composto por estrutura de aço galvanizado e chapas de gesso acartonado e aparafusadas em ambos os lados


PODE


FAZER COZINHA ou varanda gourmet


AMPLIAR a varanda e integrá-la à sala


FECHAR a varanda com vidro e climatizá-la, deixando a opção para o vidro abrir


TRANSFORMAR o quarto de empregada, mantendo o espaço


UTILIZAR paredes dry wall, que são facilmente removidas


MUDAR o porcelanato do banheiro


TROCAR o piso do imóvel

 

NÃO PODE


PERSONALIZAR O apartamento


TRANSFORMAR duas suítes ou mais em uma só


RETIRAR um dos banheiros


MODIFICAR a área de serviço de uma forma que não dê para reverter a reforma feita


RETIRAR o quarto de empregada

 

undefined

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis