MERCADO.CARACTERÍSTICAS 19/11/2014

Quanto mais líquido melhor

notícia 0 comentários
RODRIGO CARVALHO
Kalil Otoch, da Kalil Otoch Imóveis, diz que empreendimentos líquidos não se localizam necessariamente em bairros nobres
Compartilhar

Liquidez é a palavra que pode definir o sucesso de um imóvel. O significado do termo, na prática, pode ser visto quando a unidade é vendida rapidamente. Mas o que determina se um empreendimento é ou não é líquido?

 

Localização é o principal fator. “Hoje em dia, todos os locais têm uma boa liquidez, não é somente no bairro Aldeota, como era antigamente”, aponta Apollo Scherer, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci-CE).


Na lista de bairros com imóveis líquidos estão Messejana, Álvaro Weyne, Parangaba, Seis Bocas, Cambeba, Guararapes, Meireles, Bairro de Fátima e Benfica. “Boa localização não significa que o imóvel está em um bairro nobre”, complementa Kalil Otoch, da Kalil Otoch Imóveis.


Em sua avaliação, ser bem localizado implica que o empreendimento está voltado para o lado da sombra, em região arborizada, segura e com serviços básicos por perto.


A outra questão a ser observada é se o imóvel é compatível com o entorno do bairro. “Às vezes o apartamento é muito bom, mas está acima do padrão da região”, explica Apollo.


Nesse quesito, não adianta fazer residências populares em bairro nobre. Se a casa fica próximo à avenida Francisco Sá e custa R$ 3,6 milhões, não vai vender nunca, diz Kalil.


Projeto e preço

O projeto imobiliário também é determinante para que o imóvel seja caracterizado como líquido. Nele deve ser previsto todo o espaço de um apartamento: vagas na garagem e altura do imóvel. Unidades em andares superiores têm maior liquidez.

 

“Além disso, apartamentos menores, de 60m² a 110m², vendem mais rápido”, avalia o gerente comercial da Engexata Engenharia, Rosemberg Pires. Por último, o preço compatível com o empreendimento determina se o imóvel será líquido ou não. “Não adianta pegar um apartamento de 80m² e 70m² e colocar ouro nele. Tem que ter precificação adequada”, explica Kalil. (Beatriz Cavalcante)


SAIBA MAIS

PARA APARTAMENTOS, 18 a 24 meses é o tempo de comercialização ideal.
PARA CONDOMÍNIO de casas, varia entre 12 e 18 meses.   

 

DICAS


PARA COMPRAR E VENDER UM IMÓVEL LÍQUIDO

 

BOA LOCALIZAÇÃO: voltado para a sombra, em região arborizada, segura e com serviços básicos por perto

 

COMPATIBILIDADE DO imóvel com o entorno do bairro: não adianta fazer residências em bairros nobres

 

UM EMPREENDIMENTO que teve projeto imobiliário: previsão do espaço, das vagas na garagem e do andar do imóvel

 

COMPACTOS VENDEM mais rápido

 

PRECIFICAÇÃO adequada, de acordo com os valores comercializados no bairro onde se encontra


undefined

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Imóveis