Mobile RSS

rss
Assine Já
Ideb 17/08/2012

Capital é terceira do Nordeste

Fortaleza ficou entre as capitais que superaram a meta tanto para a quinta série quanto para o nono ano
Compartilhar

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) alcançado por Fortaleza em 2011 dá à cidade o título de terceiro melhor desempenho do Nordeste tanto em séries iniciais quanto em séries finais. No ranking nacional, porém, é a 17ª capital em ambos os quesitos. Os dados são do Ministério da Educação e foram detalhados, ontem, pela Prefeitura em coletiva à imprensa.

 

Para o quinto ano, a rede municipal de Fortaleza recebeu nota 4,2. Ficou 0,2 acima da meta estipulada, mas 0,7 abaixo da média do Ceará, 0,8 abaixo da média do Brasil e no mesmo patamar da média nordestina. Já para o nono ano, a cidade registrou Ideb de 3,5. Maior que o previsto em 0,4, o índice já está no patamar fixado pelo MEC para 2013. A média do Ceará foi de 4,2 (sobre meta de 3,9), enquanto a do Nordeste foi de 3,5 (menos que os 3,9 esperados) e a do Brasil foi de 4,1 (sobre meta de 3,9).


Nas séries iniciais da região, Fortaleza perde apenas para Teresina (PI, com 5,2) e João Pessoa (PB, com 4,6). Divide o terceiro lugar com São Luís (MA, com 4,2). No Ideb das séries finais, a capital cearense fica atrás de Teresina (com 4,4) e São Luís e João Pessoa (ambas com 3,9).


Segundo a Prefeitura, a variação desde 2005 foi positiva de 31,2% para a quinta série e 40% para o nono ano. Comparado com 2009, o crescimento foi de 5% e 13%, respectivamente. “A gente considera os resultados muito bons. Eles mostram que o avanço tem sido contínuo, mas também apontam para a redefinição do planejamento de algumas ações. Precisamos ampliar o tempo de escola dos alunos e melhorar ainda mais a estrutura”, ponderou a secretária da Educação, Maria Dione Soares Félix.


Com pouco mais de 11 mil professores e 210 mil estudantes, a rede municipal de ensino é a quarta maior do País. Somente as de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte superam-na. O avanço nas estatísticas a gestão local atribui a investimentos. “Há, hoje, um cenário diferente de sete anos atrás. Salas de aula e escolas foram criadas com bibliotecas; 124 anexos foram desativados; merenda, transporte escolar e fardamento foram melhorados e planos de carreira foram criados”, lista o secretário-executivo da Educação, Erlon Alves.


No ranking nacional, a situação do Ceará foi melhor que a de Fortaleza. O Estado ficou em 12º (quinta série) e 8º lugares (nono ano). “Queremos que cada escola olhe para si e projete melhorias”, adiantou o coordenador do ensino fundamental e médio da Secretaria, Arlindo Araújo. “Há situações de vulnerabilidade em algumas regionais”, admitiu a secretária Maria Dione.

Serviço

 

O desempenho de todas as cidades brasileiras no Ideb pode ser consultado na Internet.

O endereço é: http://ideb.inep.gov.br/resultado/

Bruno de Castro brunobrito@opovo.com.br
Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Mais comentadas

anterior

próxima