Mobile RSS

rss
Assine Já
Maconha 14/05/2012

Marcha pede legalização

FOTOS FÁBIO LIMA
Marcha ocorreu na Beira Mar. Fortaleza foi uma das 28 cidades no País
Compartilhar

A segunda edição da Marcha da Maconha em Fortaleza ocorreu em clima de descontração e sem registros de confronto com a Polícia. Centenas de apoiadores da descriminalização do uso da cannabis sativa marcharam pela avenida Beira Mar, na tarde do último sábado.

 

Durante o percurso, os manifestantes entoavam um sonoro “sou maconheiro, com muito orgulho, com muito amor...” A reação da maioria das pessoas que estavam de passagem era de riso e não de recriminação. Até os personagens infantis Minnie e Cebolinha, do trem da alegria, apoiaram o movimento.


Segundo o monitor educacional Oswaldo Perdigão, 28, um dos organizadores da marcha, o que se pede é a revisão da política de combate às drogas, com o fim da criminalização ao usuários; a legalização do uso de drogas, pois o usuário deixaria de ter contato com os traficantes, segundo ele; e a votação, ainda neste ano, do projeto que pode descriminalizar o uso de drogas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), permitindo o uso recreativo, medicinal, industrial e religioso.


Oswaldo Perdigão informa que estudos apontam a maconha como uma substância que prejudica o usuário durante a formação do sistema nervoso, entre 16 e 17 anos. O antropólogo e professor titular de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Antônio Mourão, discorda: “jovens até 22 ou 23 anos que fazem uso regular da maconha podem ter grandes transtornos psiquiátricos”. Mourão informa que, em alguns casos, os jovens entram em surto psicótico e não retornam mais ao estado de sanidade mental.


A marcha, encerrada no anfiteatro da avenida Beira-Mar, fez parte do “maio verde”, mobilizando 28 cidades no Brasil e 1.220 no mundo. No sábado, saíram às ruas também manifestantes nas cidades de Belo Horizonte e Uberlândia (MG), Cuiabá (MT), Niterói (RJ).

Compartilhar

Veja também

Mais segurança
espaço do leitor
Gilberto Elias Castro 14/05/2012 17:47
Bebendo drogas fortíssimas liquidas (alcool) que matam 13 mil por ano, acha ruim a planta cannabis que em sua história nunca matou ninguém, e ainda é o único remedio que melhora sensações de esclerose múltipla, aids e câncer. Eu sei o que digo, tenho 40 anos e esclerose múltipla ha 15 anos.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Gilberto Elias Castro 14/05/2012 17:47
Bebendo drogas fortíssimas liquidas (alcool) que matam 13 mil por ano, acha ruim a planta cannabis que em sua história nunca matou ninguém, e ainda é o único remedio que melhora sensações de esclerose múltipla, aids e câncer. Eu sei o que digo, tenho 40 anos e esclerose múltipla ha 15 anos.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Gilberto Elias Castro 14/05/2012 17:46
Bebendo drogas fortíssimas liquidas (alcool) que matam 13 mil por ano, acha ruim a planta cannabis que em sua história nunca matou ninguém, e ainda é o único remedio que melhora sensações de esclerose múltipla, aids e câncer. Eu sei o que digo, tenho 40 anos e esclerose múltipla ha 15 anos.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Italo 14/05/2012 11:55
Ridículos esses manifestantes.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
4
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:

Mais comentadas

anterior

próxima

24h|48h Últimas