Mobile RSS

rss
Assine Já
Autismo 01/04/2012

Casa da Esperança é referência no tratamento

Amanhã é o Dia Mundial de Consciência sobre o Autismo. O distúrbio atinge, em média, uma em cada 100 mil pessoas nascidas vivas
{'grupo': 'especial para O POVO', 'id_autor': 16627, 'email': 'marcosroberio@opovo.com.br', 'nome': 'Marcos Rob\xe9rio '}
Marcos Robério marcosroberio@opovo.com.br
FOTO FÁBIO LIMA
A Casa da Esperança atende cerca de 400 autistas, que lá recebem acompanhamento multidisciplinar
Compartilhar


Um distúrbio que se manifesta precocemente e afeta as habilidades de comunicação, comportamento e interação social. Resumidamente, essa é a descrição do autismo, que, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), atinge em média uma em cada 100 pessoas nascidas no mundo. Apesar de ser cada vez mais estudado, o distúrbio é pouco conhecido pela sociedade. O que muitos também não sabem é que em Fortaleza se localiza uma entidade que é referência nacional no tratamento de autistas: a Casa da Esperança, no bairro Água Fria.


Com a proximidade do Dia Mundial de Consciência sobre o Autismo (2 de abril), a instituição está realizando atividades no intuito de difundir o conhecimento sobre o assunto e diminuir o preconceito ainda existente. “O principal objetivo é trazer conscientização, para que as pessoas saibam o que é autismo. Existem muitas coisas maravilhosas que eles (autistas) são capazes de entregar para a sociedade”, diz o presidente da casa, Alexandre Costa e Silva.


A instituição foi fundada em 1993 pela médica Fátima Dourado, atual diretora clínica da entidade e mãe de filhos autistas. Atualmente, o lugar atende cerca de 400 autistas, que lá recebem acompanhamento multidisciplinar. “Nossa tentativa é cobrir todos os problemas relativos ao autismo”, explica Alexandre Costa e Silva.


Uma vez diagnosticados, os pacientes são encaminhados para um dos quatro programas de tratamento. Na intervenção precoce, são atendidas crianças com suspeita de autismo, a fim de acompanhar o crescimento e minimizar os problemas. No programa educacional, o objetivo é trabalhar a relação entre o paciente e sua escola.


O terceiro grupo é formado principalmente por adolescentes, com grau de autismo mais avançado. Nesse caso, o tratamento é baseado especialmente em terapias ocupacionais. Já o quarto programa incentiva a inserção no mercado de trabalho, descobrindo as habilidades dos pacientes e encaminhando-os para empresas públicas e privadas. Há também acompanhamento com as famílias.


Comportamento

Há oito anos, a dona de casa Maria das Graças traz o filho de 22 anos diariamente à Casa da Esperança e diz que o comportamento e a interação dele com as pessoas melhoraram bastante. De fato, o jovem Daniel Andrade é cativante. Ele se diz fã de televisão e demonstra um conhecimento impressionante sobre teledramaturgia. Diz que gostaria de fazer um remake da novela Terra Nostra, colocando seus personagens preferidos. E não para por aí: “Aprendi aqui inglês, português e matemática”, cita.

 

Onde


ENTENDA A NOTÍCIA


Localizada no bairro Água Fria, a Casa da Esperança foi fundada em 1993 pela médica Fátima Dourado, atual diretora clínica da entidade e mãe de filhos autistas. A instituição atende cerca de 400 autistas.

 

Saiba mais


A Casa da Esperança é conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS) e também recebe doações.

 

98% dos atendimentos são gratuitos.

 

São mais de 200 profissionais da área de saúde e terapias.

 

A instituição também mantém uma sede em Ananindeua (PA).

 

A ONU reconhece os direitos básicos e liberdades fundamentais das pessoas com autismo através da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.


A convenção foi ratificada no Brasil através de emenda constitucional, em 2008.

 

SERVIÇO

 

Casa da Esperança

Onde: rua Dr. Francisco Francilio Dourado, 11 – Água Fria

Mais informações: 3273 6961 / www.autismobrasil.org


Dia Mundial do Autismo

Ato Público

Quando: dia 2, segunda-feira, às 15 horas

Onde: Praça do Ferreira

 

Compartilhar

Veja também

Aprendizado
espaço do leitor
Lica 11/11/2013 20:08
Sim a entidade antende pelo SUS, mas a procura é grandiosa, e a lista de espera no faz "esperar" por anos até obter um tratamento na citada entidade, o que chega a ser triste...
Este comentário é inapropriado?Denuncie
1
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor: